Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Libolo joga cartada decisiva

06 de Julho, 2017
O seu adversário é o Smouha, do Egipto, o jogo é referente à sexta e última jornada da fase de grupos da referida competição.

Depois da derrota no fim de semana, no Sudão, por 0-2, a margem de erro da equipa de Calulo é nula. O único representante angolano nas competições africanas não pode dar-se ao luxo sequer de empatar.

A vitória é o único resultado que interessa. Em jogo não estão só os três pontos, mas a segunda posição do grupo, e a possibilidade de fechar esta fase na zona de classificação para a fase de mata -mata.

A jogar em casa, a equipa de Calulo não tem só necessidade, mas a obrigação de vencer. Por tudo isso, a promessa é de um “Inferno de Calulo” lotado. Pelo retrospecto, a missão não é nada fácil.

Contudo, mesmo que vença no domingo, o Recreativo do Libolo não garante de imediato o desejado passaporte para os “quartos”. Vai ter de aguardar pelo resultado do jogo entre o ZescoUnited FC da Zâmbia e o Al Hilal, do Sudão.

Na tabela classificativa, o Recreativo do Libolo ocupa a quarta e última posição, com seis pontos, os mesmos que o seu adversário, o Smouha. O segundo lugar pertence ao Zesco United da Zâmbia, com sete pontos, e a liderança é do Al Hilal, do Sudão, com 10 pontos. Pontos que garantem, de forma antecipada, à passagem aos quartos de final.

Acontece igualmente no domingo, e a mesma hora do jogo de Calulo a equipa zambiana recebe o Al Hilal do Sudão.

Se, eventualmente, os zambianos vencerem os sudaneses, de nada vale a vitória do Recreativo do Libolo.

Neste tipo de competição, há toda a obrigatoriedade de vencer todos os jogos efectuados em casa, e ir buscar um ou outro ponto fora do reduto. Infelizmente, a equipa de Calulo não amealhou qualquer ponto fora do reduto.

No somatória dos cinco jogos disputados até aqui, venceu os dois jogos disputados em Calulo, e perdeu os restantes três fora de casa. Uma percentagem negativa, que pode ser fatal às suas ambições.

Na jornada do fim de semana, o Zesco United da Zâmbia foi buscar um precioso ponto a sua deslocação ao Egipto.

Ponto este que pode ser fundamental e determinante para chegar aos quartos de final, desde que vença o Al Hilal.

No caso inverso, esteve o Recreativo do Libolo, que perdeu na deslocação ao Sudão, por 0-2, fruto de duas grandes penalidades muito discutidas, principalmente, na que resultou no segundo golo.

Verdade ou não, segundo a Rádio 5, o árbitro que ajuizou a referida partida foi castigado pela CAF. Um castigo que infelizmente não muda em nada o desfecho final da partida.

A pressão está toda do lado do Recreativo do Libolo, porque a equipa egípcia pouco ou nada tem a ganhar. Está arredada dos quartos de final, e o mais que pode fazer é jogar de igual para igual, para sair da competição de cabeça erguida.

O placar, ainda assim, é uma incógnita, mas há um leve favoritismo para a equipa angolana. Só que, a pressão de vencer e a depender do resultado do jogo a ser disputado na Zâmbia, é ruim para qualquer equipa.

Uma possível passagem do Recreativo do Libolo aos quartos de final da Taça Nelson Mandela, era benéfica não apenas para si, como também para o futebol nacional, que podia ver aumentar o número de equipas a competir nas competições continentais.

Todas as atenções dos amantes do futebol, sejam eles adeptos do Libolo ou não, vão estar centradas no domingo na Vila de Calulo.

O Recreativo do Libolo merece o apoio de todos.No futebol tudo é possível, por isso, vamos acreditar que o Libolo possa chegar aos “quartos”.
Para isso, vai ter de fazer a sua parte e esperar que os zambianos não vençam os sudaneses.
POLICARPO DA ROSA

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »