Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Luta pela manuteno e a verdade desportiva

04 de Novembro, 2017
Em vésperas do cerrar das cortinas da edição de 2017 do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, que ganhou ultimamente o cognome de Girabola Zap, e com o d’Agosto já consagrado campeão, resta agora definir quem acompanha o Santa Rita de Cássia do Uíge na despromoção.
Progresso da Lunda Sul, actual 12º classificado da prova, com 29 pontos; Académica do Lobito, 13º com 27; JGM do Huambo, 14º igualmente com 27; e Atlético Sport Aviação (ASA), 15º com 26, são os quatro candidatos a descer ao escalão secundário do nosso desport-rei. Nessa luta acesa pela permanência, na fina-flor do futebol nacional, a turma do Aeroporto é que mais está acossada pelo espectro da despromoção dado ao facto de a sua sorte depender de terceiros, ou seja, das outras três equipas que mais facilmente podem assegurar o desiderato.Senão vejamos o ASA está, nesse cenário, obrigado a vencer na 30ª e derradeira jornada do campeonato a Académica do Lobito, no reduto desta, uma tarefa bastante espinhosa dado que a equipa da cidade portuária também tem, ainda, a situação indefinida.
Mas atenção que mesmo vencendo a formação treinada por Paulo Saraiva tem ainda uma outra condicionante para se manter no convívio dos grandes do futebol nacional: esperar que o JGM do Huambo não vença o jogo frente ao seu “conterrâneo” do Recreativo da Caála. Sendo, nesse momento, a par do 1º de Agosto, o outro totalista do Girabola Zap, o ASA pode ver a sua sorte ofuscada em caso de derrota e até mesmo de empate frente a turma lobitanga. Aliás, a eventual despromoção dos aviadores carregaria consigo, paralelamente, parte da história do nosso futebol pelo facto de, mesmo nas condições adversas por que passa nestes últimos anos, ainda assim sempre resistiu ao espectro da despromoção.
Agora numa situação mais folgada estão o Progresso da Lunda Sul e a Académica do Lobito que só dependem de si para assegurar a manutenção na mais alta-roda do futebol nacional.À turma do Leste até o empate pode servir para suas contas, no que toca a permanência, já que ainda que quer Académica, quer o JGM, vençam, ela tem vantagem nos confrontos directos com a formação do Planalto Central, face ao empate 1-1 na primeira volta e vitória de 3-0 na segunda. Caso obtenha um empate frente ao Clube Desportivo da Huíla (CDH) e os outros dois concorrentes (Académica do Lobito e JGM) vençam, as três equipas somariam 30 pontos. Nesse cenário o Progresso da Lunda reconfirmaria automaticamente a permanência, dada à vantagem sobre equipa do Huambo e à igualdade de circunstâncias nos confrontos directos com os lobitangas, por força da derrota 1-2 na primeira volta e vitória de 3-2 na segunda.
Numa condição de as três equipas terminaram igualadas na pontuação, a desvantagem seria para o JGM, que apesar do empate nos confrontos directos com a Académica, face ao empate 1-1 nos jogos da primeira e segunda volta, ostenta um coeficiente inferior no golo-average. Melhor dito, a equipa planáltica por força do saldo negativo de 30 golos, dado que até ao momento apontou 25 contra 45 consentidos, precisaria vencer por uma margem de mais de 13 golos ao seu conterrâneo e esperar que o triunfo da lobitangas sobre o ASA fosse tangencial. A equipa da Académica do Lobito, com coeficiente negativo de 17 golos, por força dos 34 tentos apontados contra 51 consentidos, estaria, assim, em melhores condições de se manter na fina-flor do futebol nacional, relegando deste modo o JGM e o ASA para a segunda divisão.
Por outro lado, quer o Progresso da Lunda Sul, como Académica do Lobito e JGM se empatarem nos jogos de amanhã o cenário seria semelhante ao do caso de vencerem. Ou seja, nesse condição acompanhariam o Santa Rita à segunda divisão os planálticos e os aviadores.No meio das contas que se fazem destas quatro equipas que podem descer divisão, o ASA asseguraria permanência com uma eventual vitória sobre a Académica do Lobito e derrotas do Progresso da Lunda Sul e JGM frente ao CDH e Recreativo da Caála, respectivamente. Um outro cenário que se pode vislumbrar aqui é o de um possível “acordo de cavalheiros” entre os conterrâneos Recreativo da Caála e o JGM, que se defrontam amanhã, no Estádio dos Kuricutelas (Ferroviário em português), na cidade capital do Huambo.Os caálenses já sem nada a perder no campeonato, poderiam facilitar o jogo frente ao JGM, o que acontecer feriria o espírito da verdade desportiva. Espera-se, nesse sentido, que a equipa treinada por David Dias não enverede por um caminho dessa natureza.
É importante realçar, nesse particular, que vimos já alguns bons exemplos de verdade desportiva nesse campeonato e que, por conseguinte, envolveu equipas da capital do país.
Pode-se destacar nessa perspectiva, um Kabuscorp do Palanca, que mesmo já não tendo nada a perder, afundou ainda mais o ASA na cauda tabela, ao vencer este na 26ª jornada do campeonato por 1-0, ou mesmo o Interclube, que atrasou o d’Agosto na corrida ao título ao impor a este, na 27ª, um rigoroso empate 1-1. É de exemplos como estes que esperamos ver nesta fase crucial do Girabola para o bem do nosso futebol. A verdade desportiva deve estar acima de tudo.O mesmo pode-se dizer em relação ao Sagrada Esperança da Lunda-Norte, que há muito definiu a sua situação no campeonato. A diamantífera tirou o Petro de Luanda da corrida ao título, ao vencer este em sua casa, no Dundo, por 1-0, na 28ª jornada deste Girabola Zap.
O resto é aguardar-se pelo desfecho desta 30ª e última jornada que já tem o 1º de Agosto consagrado como campeã, e cujo verdadeiro tira-teimas recai para o jogo que coloca frente-a-frente Académica do Lobito e o ASA, no estádio do Buraco, que pode servir de sepultura para qualquer um dos dois concorrentes. Mais do que isso que haja fair-play neste duelo.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »