Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Madeira e Hlder Cruz vo s urnas at que decidam !

03 de Janeiro, 2017
No dia 28 de Abril de 2014 foi promulgada e publicada a Lei nº 06/14, de 23 de Maio ( Lei das Associações Desportivas), que no seu artigo 112º estatui, "Enquanto não foi institucionalizado o Conselho Nacional de Disciplina e Ética Desportiva, os conflitos de natureza desportiva são dirimidos por uma comissão arbitral "ah-hoc", constituída a) por um árbitro indicado por cada uma das partes, b) por um árbitro indicado pelo Comité Olímpico Angolano que assume as funções de presidente.

Eu julgo que efectivamente este é o "caminho" mais célere, e menos trabalhoso. E, para mim, esta era a via ideal para o que se passa no basquetebol.
Como isso não aconteceu, está indefinida a data para as eleições na Federação Angolana de Basquetebol, porque foi interposto um requerimento junto do Tribunal Provincial de Luanda, uma Providência Cautelar, accionada pelos integrantes da Lista A liderada por Hélder Cruz, que viu a sua lista não ser admitida pela Comissão Eleitoral.

Ninguém que acompanha o basquetebol nacional ia gostar que voltássemos à crise que em 2012 redundou as eleições em que Paulo Madeira venceu, e depois viu-se confrontado com uma contestação/impugnação interposta pelas listas de Conceição Sampaio e de António Henriques...até o processo chegar ao Tribunal Provincial, e em recurso, ao Supremo.

Foi vergonha por que passou a família do basquetebol, até para aquele que assistia apenas do muro o que ocorria noutras modalidades, noutras Federações.

Numa entrevista concedida neste ano a este jornal, Paulo Madeira disse que a sociedade e a família do basquetebol devem condenar, na modalidade, as práticas de "batota" e garantir que todos tenham o seu momento para apresentar e defender os argumentos e perspectivas para o nacional continuar a crescer.

Foram deles as palavras : "não existe família desavinda no basquetebol. Nem existe família unida que partilhem todos os mesmos pontos de vista e posicionamentos , mas (...) o que entendo, é que as diferenças, as lutas de contrários, são muito boas para o desenvolvimento e provoca um espírito de concorrência, que deve ser salutar".

No entanto, com muito agrado registei o acordo a que chegaram os concorrentes à Federação Angolana de Futebol - Hélder Cruz e Paulo Madeira - e a Comissão Eleitoral, no sentido da não realização do pleito no dia 22 de Dezembro.

Isso, demonstra que às vezes vale a pena o consenso, o diálogo, em vez de "a tout court" fazer-se tábua rasa à Lei, só porque a Lei dita imperativamente o que se deve fazer.

A lista de Hélder Cruz foi admitida, depois de figurar como presidente da Mesa de Assembleia o antigo internacional Carlos Almeida, trocado por Agostinho Matamba. Paulo Madeira já estava em plena campanha, a correr " só", isto é, só com a sua lista.

Agora, que voltou a ver admitida a do seu concorrente, julgo que não fica bem contestar a atitude, a readmissão da lista liderada pelo seu companheiro Hélder Cruz, que até é seu velho amigo de escola, e de clube.

Paulo Madeira respeitou as regras, e foi admitido pela Comissão Eleitoral, viu esta a rejeitar a de Hélder Cruz, não por factos ou irregularidades que suscitem a nulidade, mas por mera anulabilidade, com a possibilidade, portanto, de serem supridas.
E, foi isto que permitiu "rectificar" , ou melhorar, digamos assim , pela Comissão Eleitoral.

Foi melhor assim, extra-judicialmente, do que ver a lista de Hélder Cruz a partir para a impugnação judicial da invalidade/inadmissibilidade da sua lista.

" Alguns propõem-se e só actuam no âmbito da "batota", usam por vezes recursos à sua disposição para falsear ou criar situações que impeçam os demais a esgrimir os seus argumentos de razão, e de concorrer em pé de igualdade" .

É isto que Paulo Madeira também disse na entrevista. E, é isto que não vai acontecer porque foi o achado encontrado, o consenso, o acordo, a compreensão.

Por tal facto, vai desde já aplaudida a boa actuação da Comissão Eleitoral coordenada pelo jurista/professor Carlos Teixeira, um homem do desporto também.
António Félix

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »