Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Marcas do Girabola 2013

13 de Setembro, 2013
Entre as marcas, três ganham relevância na análise a que nos propusemos hoje, começando com o ASA que, com a goleada sofrida frente ao Desportivo da Huila, terá comprometido, em definitivo, a sua continuidade na prova. Esta é uma consequência do conjunto de problemas que a equipa do “aeroporto” vive e que deixa em terra o poder das suas asas, as mesmas que em tempos a fez voar tão alto, a ponto de igualar o Petro de Luanda e o 1º de Agosto com a conquista de três campeonatos consecutivos.

Além disso, a provável descida de divisão do ASA, irá promover outro valor histórico para o futebol angolano, que passará a ter na época seguinte apenas uma equipa totalista em termos de participação no Girabola, que no caso será o 1º de Agosto.

A propósito do 1º de Agosto, na continuidade das marcas, devemos dizer que, com o empate cedido para o velho rival Progresso do Sambizanga, o clube das Forças Armadas terá hipotecado definitivamente as aspirações de voltar a erguer o troféu de campeão, coisa que já não faz há seis anos.

Verdade seja dita que, para uma equipa como o 1º de Agosto, sete anos sem ganhar o título é suficiente para provocar uma tempestade no clube. A confirmação de mais um ano de jejum para os “militares” poderá ocorrer este sábado, quando a equipa defrontar o Kaburscorp, no Estádio Nacional 11 de Novembro. Uma vitória do líder do campeonato poderá “sentenciar” o fracasso nas ambições da época dos “militares” que, por conseguinte, se arriscam a perder o segundo lugar para a equipa do Moxico.

Por outro lado, uma vitória sobre o clube de Bento Kangamba poderá reavivar o entusiasmo e apenas isso, mas terá pouco sabor, porque apenas permitirá a redução para nove pontos a diferença para o líder, que em teoria são anuláveis em três jogos, desde que consiga o pleno.

E por mais que se recomende cautelas, pensamos que muito dificilmente o título irá fugir das mãos do clube de Bento Kangamba, que assim poderá inscrever o seu nome na lista da maior competição futebolística de Angola.

Os doze pontos que leva de vantagem em relação aos segundos classificados, 1º de Agosto e Bravos do Maquis, são bastante confortantes. A eventual vitória do Kaburscorp do Palanca será o triunfo dos triunfos, porque há-de acontecer numa época em que todos os campeões estão presentes e terão sucumbido aos pés do clube do bairro Palanca, em Luanda.
CARLOS CALONGO

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »