Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Marketing desportivo: Parecer e o Ser!

03 de Julho, 2017
Na vida real não basta Parecer, é também, e sobretudo, preciso SER!

Uma premissa básica, porém fundamental que serve que nem uma “saia justíssima”, no caso do panorama do marketing desportivo, “made in” Angola.

Ora, para o efeito, convido o caro leitor desta coluna semanal a embargar comigo, num simples, porém breve, mas indispensável exercício.

Qual é a primeira impressão que guarda consigo, quando se depara à primeira vista, com uma camisola, um chapéu, um cachecol, ou qualquer peça de merchandising, por exemplo do Petro de Luanda, do 1º de Agosto, do Progresso Sambizanga, do Interclube do Recreativo do Libolo, do Kabuscorp ou seja do seu clube do coração?

Afinal, que impressão é que essas marcas lhe deixam? Que esteja a sentir falta ou ausência de alguma coisa?

De facto, a primeira imagem/contacto que temos de, e com alguém, ou com alguma coisa, é quase sempre determinante para o relacionamento futuro que teremos com aquela pessoa ou coisa.

Mas não é essa a percepção, que se tem na forma como se trabalha o marketing desportivo em Angola, em todas as suas dimensões e latitudes!
Por essa razão é que vemos “aos papéis “, clubes e federações nacionais, a “desconseguirem” encontrar patrocínios, que na essência e na génese é o principal elemento do marketing desportivo.

Porque a imagem, a visibilidade que os clubes e federações nacionais, passam ao público de uma forma geral, é semelhante ao olhar para a embalagem de um produto, e ter logo a sensação de que a qualidade do referido produto é no mínimo totalmente duvidosa!

No marketing de uma forma geral, mas sobretudo no marketing desportivo, não somos apenas aquilo que conseguimos obter a partir do que temos e nem aquilo que achamos que somos. Nós os marketers só “vendemos” o que realmente somos!

Esse é o marketing mais forte e eficaz que os cubes e federações nacionais podem ter. E quando se aposta nisso, com a consciência correta, é a imagem de um país que sai a vencer.

Pergunto-me, qual é a imagem de marca que Angola,possui em termos desportivos?

Por este motivo é que em termos desportivos, o mundo não consegue sequer imaginar aquilo que muitas vezes, podíamos ser muito melhores!
Pois claro, se cá dentro o campo de actuação para se construir marcas desportivas fortes e de peso é o que se vê, não me façam crer e nem venham falar de impacto lá fora!

Paremos de olhar para a janela e passemos a dar mais atenção ao quintal. Ponto final!

*GESTOR EXECUTIVO DO FÓRUM MARKETING DESPORTIVO

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »