Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Matriz de jogadores talentosos

14 de Maio, 2015
De um ponto de vista funcional, decidimos separar o Desenvolvimento do Futebol em duas áreas distintas e relacionadas, nomeadamente, o Desenvolvimento de Jogo e Desenvolvimento de Jogador Talentoso, como se mostra na Figura.

Em essência, o desenvolvimento da modalidade é a matriz que suporta o desenvolvimento de jogadores talentosos. Este é o ambiente que se pretende criar para que a maioria das pessoas desfrutem da participação no futebol e também recorram às exigências fundamentais de infra-estruturas como: instalações, formação de treinadores e árbitros, regulamentos e do desenvolvimento dos clubes.

DESENVOLVIMENTO DO FUTEBOL

Melhorar o padrão técnico pleno na base do jogador angolano. Desenhar e cuidar da oferta da melhor experiência de participação no desporto angolano; Identificar, atrair e reter mais e melhores atletas, particularmente na faixa etária de 12-16 anos. Aumentar o número de treinadores e árbitros credenciados. Garantir que as instalações sejam suficiente conforme o ritmo de procura.

DESENVOLVIMENTO DE JOGO
Educar, apoiar e oferecer condições para todos os participantes de futebol. Participação (por exemplo, pequenos jogos de apoio); Teste Nacional de Habilidades; Formação de Treinadores; Formação de Árbitros; Desenvolvimento dos Clubes; Instalações; Regulamentos; Futebol escolar; Iniciativas inclusivas; Futebol Feminino; Futsal (acompanhamento).

DESENVOLVIMENTO DE JOGADOR TALENTOSO
Providenciar programas e recursos de alta qualidade para os jogadores talentosos, treinadores e árbitros.Selecções Nacionais, Centros Nacionais de Treinos, Campeonatos Nacionais para jovens, Campeonatos Nacionais de Futsal (acompanhamento). Campeonato Nacional de Futebol Feminino, Modelo Nacional de Treinos. Teste Nacional de Habilidades. Bolsas de Estudos para Treinadores assim como para jogadores de Elite.

Nos primeiros anos de preparação do jogador, o futebol básico e o desenvolvimento de jogadores talentosos são inseparáveis. Quer dizer, que todos os jogadores, incluindo aqueles muito talentosos, devem jogar futebol a nível inferior. O exemplo mais pertinente é que no futuro todos os jogadores devem começar a experiência de futebol a jogar em pequenos jogos de apoio (Jogo Formal substituído pelo Jogo Reduzido). Numa etapa particular, estes jogadores talentosos devem passar do percurso de jogador talentoso para um ambiente onde eles possam ter acesso aos programas especializados, treino especifico e outros serviços específicos. Isto também se pode aplicar aos treinadores, árbitros talentosos e dirigentes, embora exista um caminho menos “formal” para o último grupo. É apropriado reconhecer que a captação e detecção de talentos posam ter sempre algum impacto e interdependência no futebol de bairros. Isto é, particularmente assim, durante os primeiros anos de formação do jogador, o treino e regime de jogo em futebol de bairro proporcionam melhorias para o crescimento dos futuros talentos.
ZECA AMARAL

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »