Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Militares espreitam acesso aosquartos

18 de Agosto, 2018
A equipa principal de futebol do 1º de Agosto, actual líder do Campeonato Nacional da I Divisão, joga hoje uma cartada decisiva na Liga dos Clubes Campeões Africanos, quando enfrentar na Tunísia, o Étoile du Sahel local, para 5ª jornada do Grupo D.
O conjunto angolano soma, nesse momento, cinco pontos, na segunda posição, contra dez do aniversário, na primeira do agrupamento e que já garantiu, em consequência disso, a qualificação para os quartos de final desta maior prova de clubes africanos.
O 1º de Agosto entra para esta penúltima ronda da “Champions League”numa condição em que depende, exclusivamente, de si para garantir a outra vaga de acesso aos “quartos” desta prova mais importante de clubes da Confederação Africana de Futebol (CAF).
Uma vitória hoje, no reduto do Étoile, é o quanto basta para que a equipa militar faça a festa, com a eventual qualificação aos quartos de final da Liga dos Campeões, mas isto caso no outro jogo o Mbabane Swallows da eSwatini (ex-Swazilândia) não vença.
E tudo porque, com os quatro pontos que tem, na 3ª posição do Grupo D, a equipa da ex-Swazilândia se perder, no duelo com o Zesco United da Zâmbia, último colocado com dois, ficaria sem chances de chegar à cifra que o d’Agosto atingiria com o triunfo.
Numa outra perspectiva ainda, a equipa zambiana, se vencer o Mbabane Swallows nesta 5ª ronda, terá ainda possibilidades de chegar aos oito pontos, fruto do jogo que fará na última ronda diante do Étoile. Porém, em caso de terminar empatado na pontuação com o d’Agosto no final das contas, apresenta-se em desvantagem nos confrontos directos.
Por isso, uma vitória dos pupilos de Zoran Maki hoje, na Tunísia, pode garantir-lhes, em definitivo, a qualificação para os quartos de final da “Champions League”.
No entanto, um empate ou até mesmo a derrota frente ao Étoile du Sahel, não significa o fim da caminhada para o 1º de Agosto. Mas nesse caso, os militares vêem-se na obrigação de vencer a equipa do Reino de eSwatini no jogo da última jornada, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda.
Aliás, independentemente dos desfechos que tiverem os dois jogos desta ronda, se a equipa do “rio seco” vencer o desafio da derradeira jornada aí, terá também, automaticamente, assegurada a sua qualificação para os quartos de final.
E isto seria como colocar a cereja no topo do bolo para os militares do “rio seco”, que, na próxima semana, podem também fazer a festa do título no Girabola Zap, a maior prova do futebol nacional, bastando-lhe vencer na deslocação ao Dundo.
Uma vitória sobre o Sagrada Esperança da Lunda-Norte, daria ao d’Agosto o segundo tri-campeonato do seu historial na alta-roda do futebol no país, depois do êxito obtido nas três primeiras edições do Girabola, em 1979, 1980 e 1981 sucessivamente.Vendo bem, a principal equipa de futebol das Forças Armadas Angolanas (FAA) pode realizar uma época do sucesso e matar dois coelhos de uma só cajadada. Dito de outra maneira, o 1º de Agosto pode, este ano, juntar a eventual conquista da maior prova do futebol nacional, ao êxito que se advinha nas Afrotaças. E seria, para já, um prémio merecido por tudo que os seus jogadores vêm fazendo nesta temporada.
É verdade que temos um campeonato, este ano, disputado a “contra-relógio”, por causa do reajuste que sofreu e de forma a colocá-lo ao nível da disputa dos demais, que ocorrem em África. Aliás, era um “velho problema” com que se confrontava o rei-futebol no país. Tínhamos, por assim, dizer um campeonato que se realizava muito desajustado, comparativamente aos dos demais países do continente Berço da Humanidade.
Para fazer este reajuste, que diga-se de passagem impunha-se, a Federação Angolana de Futebol (FAF) teve de fazer uma “engenharia”, no sentido de, ao invés dos habituais nove meses, termos esta época o carrossel do Girabola Zap, reduzido para menos três.
Ou seja, a 40ª edição da maior prova do futebol nacional, com término previsto para 2 Setembro próximo, terá um tempo de disputa de pouco mais de seis meses. E a época que se lhe segue, arranca já em Novembro.
O reajuste do Girabola Zap vem mesmo a calhar, porquanto nas épocas precedentes, os embaixadores angolanos nas Afrotaças começavam a sua campanha nas várias provas sob a égide da CAF em Fevereiro ou Março, sem qualquer competição nas pernas.
E isto, sublinhe-se, fez com que vezes sem conta, as nossas equipas tombassem logo na primeira esquina. Esse constituía um verdadeiro problema do nosso futebol.
Agora que temos a possibilidade de o 1º de Agosto fazer uma excelente campanha na Liga dos Clubes Campeões Africanos, abre-se, também, a prorrogativa de pudermos, na próxima época, ter mais de dois representantes na alta-roda do futebol continental.
Isto seria benéfico para o país e para o futebol nacional, mas antes de tudo recomenda-se uma atitude irrepreensível do ainda campeão em título. Bem haja 1º de Agosto!!!...
Sérgio V Dias

Últimas Opinies

  • 09 de Dezembro, 2019

    Ruben chegou, viu e permaneceu

    O técnico argentino Rúben Garcia é o técncio estrangeiro que mais tempo esteve no  Girabola.. Desembarcou em 1982 para estar ao serviço do  1º de Maio de Benguela, para, depois,  orientar a  Académica do Lobito, FC.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Do amor ideologia, devoo ao dinheiro

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Prova influenciou a media desportiva

    O “Girabola”, pode-se agora afirmar, influenciou sobremaneira a formação da Redacção Desportiva da RNA. Aquele mencionado quinteto de radialistas havia-se tornado insuficiente para a demanda, sobretudo a partida dos dois últimos.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Notas da Histria do nosso futebol

    A história oficial do futebol angolano teria de  começar pelas décadas de 1920-30-40, porém, vamos aqui cingir-nos ao tempo de Angola já independente. E não se iria festejar a independência sem se jogar à bola; seria incaracterístico de um povo amante do futebol.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Arbitragem de poca em poca

    A história do Campeonato Angolano de Futebol, Girabola, como também é conhecido, é repleta de factos curiosos em termos de arbitragem. O campeonato é considerado por muitos especialistas do futebol, como um dos mais disputado do nosso Continente, o que é diferente de ser o melhor.

    Ler mais »

Ver todas »