Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Militares huilanos e o show na vanguarda

26 de Janeiro, 2019
Quando estamos a escassas duas jornadas do fim do primeiro turno do Girabola Zap 2018/2019, salta à vista a excelente campanha do Clube Desportivo da Huíla (CDH), que, de forma ousada e “atrevida” tem sabido enfrentar a forte concorrência. Isso é algo inquestionável e, como não podia deixar de ser, não há qualquer margem para se questionar a boa prestação dos militares da Frente Sul nesta etapa da competição.
Não é menos verdade, também, que a maior prova do futebol nacional está envolta, nesse momento, de muitos casos polémicos. Nessa senda, surge a desonra de compromissos contratuais por parte das direcções de alguns clubes, as ameaças de desistências destes em \'ene\' casos, e, enfim, outros mil e um problemas que vão acontecendo aqui e acolá no nosso Campeonato da I Divisão.
Não obstante isso, a prova segue o seu curso normal e os “trumunus” vão ocorrendo de forma natural, com algumas equipas a entreporem-se numa disputa que à partida, claro está, esperava-se que fosse apenas para os ditos papões do nosso Girabola. Pelo meio surgem também as desilusões, pois temos, por esta altura na prova, alguns dos ditos “colossos” do nosso Girabola com um desempenho abaixo do esperado.
É neste andar da “carruagem”, que não deixa de ser surpreendente o desempenho do Desportivo da Huíla, que tem se batido de forma audaz perante a concorrência de alguns “papões” do nosso futebol, como são os casos do 1º de Agosto e do Petro de Luanda. Nesse quesito, convenhamos que é uma verdadeira obra, a equipa orientada por Mário Soares assumir, à passagem da antepenúltima jornada da primeira volta, a liderança.
Os militares da Frente Sul, que nas duas últimas rondas desta etapa recebem o Recreativo da Caála do Huambo e depois visitam o Sagrada Esperança da Lunda-Norte, no Dundo, podem até sonhar com a eventual conquista do estatuto de campeão do primeiro turno. Mas, para tal, terão de demonstrar a mesma eficácia evidenciada até à disputa da 13ª jornada, em que assaltaram a liderança graças ao triunfo de 1-0 sobre o Sporting de Cabinda, no Chiaze, onde este actua habitualmente como anfitrião.
E, se por um lado o “atrevimento” dos militares da Frente Sul revela-se, hoje, como um sério aviso para o campeão e vice-campeão em título, o 1º de Agosto e o Petro, é bom que os outros naturais concorrentes ao troféu da maior prova do futebol nacional, casos do Kabuscorp do Palanca, Recreativo do Libolo e Interclube, isto só para citar alguns, vão já se preparando também para a pré-disposição dos huilanos. O aviso está dado...
Os militares do “rio seco” não conseguiram evitar, que o seu confrade huilano chegasse à liderança, ao empatar a zero bolas na 13ª jornada frente ao também “atrevido” FC Bravos do Maquis, no Luena. Fruto disso, o Desportivo soma 25 pontos na liderança, contra 24 do 1º de Agosto, no segundo posto.
A formação do bairro Palanca, apesar de um e outro percalço que tem enfrentado na prova, mantém-se também no cordão da frente e, nesse momento, está alojada na terceira posição com os mesmos 24 pontos que o 1º de Agosto, a frente do Progresso do Sambizanga, na quarta, com menos dois. Com se pode observar, a diferença entre as equipas que ocupam os quatro primeiros postos não é assim tão significativa, daí adivinhar-se uma luta renhida entre ambas, nas duas derradeiras jornadas do primeiro turno.
À semelhança do que acontece no topo da tabela desta maior prova do futebol nacional, no meio é notório também o equilíbrio entre as equipas aí alojadas. O Petro soma 21 pontos na quinta posição e o FC Bravos do Maquis, que se revela como uma das equipas revelação desta primeira etapa do Girabola Zap, não fosse o 6º postos que ocupa, respectivamente com dezoito pontos.
Depois, seguem-se-lhes na tabela de classificação geral o Recreativo do Caála (7º com 16 pontos), Sagrada Esperança (8º com 15), Santa Rita de Cássia do Uíge (9º com 14), Académica do Lobito (10º igualmente com 14), Interclube (11º com 13) e Sporting de Cabinda (12º também com 13). Já nos últimos quatro postos da tabela estão as formações do Saurimo FC da Lunda Sul (13º com 12), enquanto o Recreativo do Libolo, Atlético Sport Aviação (ASA) e o Cuando Cubango FC partilham com 11 pontos, o 14º, 15º e último lugares, designadamente.
Portanto, pelo actual quadro classificativo, pode-se depreender que até o desfecho da primeira volta do presente Girabola Zap, podemos ter um aceso despique quer no topo da tabela, quer no meio e bem assim como na cauda. Isso acaba por ser um factor aditivo, para tornar ainda mais emotiva esta ponta final da primeira volta do Campeonato Nacional, em que cada interveniente, a seu jeito, procure buscar a melhor classificação possível. E, nesse particular, quem melhor souber tirar proveito das oportunidades que criar, na certa levará a água ao seu moinho.
E assim vai caminhando o campeonato das nossas multidões, com os militares huilanos a intrometerem-se no caminho dos “grandes” e a demonstrarem, que podem também dar show na vanguarda e, quiçá, cortar a meta como campeões do primeiro turno. Vamos aguardar até onde vai o seu atrevimento!!!...
SÉRGIO V.DIAS

Últimas Opinies

  • 11 de Novembro, 2019

    O sabor da Dipanda

    O 11 de Novembro é uma data que representa um verdadeiro símbolo da identidade dos angolanos e do país, em si, desde que se libertou das amarras do regime colonial. Portanto, há 44 anos, num dia como hoje, o saudoso Presidente Doutor António Agostinho Neto proclamou perante a África e ao Mundo a Independência Nacional.

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Acho que a condecoração vem em boa hora. Devia haver melhor critério, mas não deixo de louvar a atitude do Presidente da República. (...)

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Denncias, SIC e PGR

    Certa vez, sem receio de punição, a demonstrar que tinha algum trunfo na manga para provar, o então presidente de direcção do Recreativo do Libolo, Rui Campos, chegou a acusar que os árbitros indicados pelo Conselho Central de Árbitros da Federação Angolana de Futebol manipulavam os jogos e resultados da equipa de Calulu, no sentido de, na altura, impedir a revalidação do título.

    Ler mais »

  • 09 de Novembro, 2019

    Festa da Dipanda e os feitos desportivos

    Angola assinala dentro de sensivelmente dois dias 44 anos desde que se libertou das amarras do regime colonial.

    Ler mais »

  • 09 de Novembro, 2019

    Desporto de unio nos 44 anos da Nao

    Hoje, como não podia deixar de ser, neste espaço escrito “A duas mãos”, acordamos em falarmos da trajectória do nosso desporto, ao longo dos 44 anos de Independência que o País tem.

    Ler mais »

Ver todas »