Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Noventa minutos de alta tenso

16 de Maio, 2019
O Girabola Zap de 2018/2019 faz disputar a última jornada já no próximo sábado e domingo, dias 18 e 19 de Maio. Se por um lado já se conhecem as equipas despromovidas, a grande questão é: quem será o campeão nacional da 41ª edição da maior prova do futebol nacional?
Na luta pelo título estão as equipas mais tituladas do país e por isso ostentam o estatuto de crónicos candidatos ao título. Por um lado temos o primeiro campeão angolano depois da Independência, o 1º de Agosto que está a procura do seu 13 º troféu e de outro o Petro Atlético de Luanda com 15 títulos na bagagem.
O 1º de Agosto, que conquistou as últimas três edições do Girabola, recebe no Estádio 11 de Novembro o Kabuscorp do Palanca, que apesar de estar a viver um de seus piores momentos, ainda acredita na conquista do terceiro lugar que dá acesso as Afrotaças.
Depois de ter recuperado os nove pontos que lhes haviam sido retirados a equipa de Bento Kangamba, aposta seriamente na conquista do terceiro lugar que disputa com o Clube Desportivo da Huíla (CDH) e só poderá continuar sonhado com tal pretensão se vencer a equipa do "Rio Seco".
Já oPetro de Luanda, desloca-se a baixa da cidade para defrontar no Estádio dos Coqueiros, o Progresso do Sambizanga, que apesar de estar a passar por maus momentos devido a crise financeira que lhes tem tirado o ânimo, mesmo assim pode e de certeza que irá fazer um grande jogo diante dos tricolores da capital.
Portanto, estaremos diante de dois dérbis da capital e com muito trumuno a vista tendo em atenção o nível técnico de ambas as equipas. Entretanto, em minha modesta opinião, o 1º de Agosto apesar de depender de si para a conquista do tetra campeonato, terá mais dificuldades do que o seu eterno rival, o Petro de Luanda.
Porque é? Porque o Progresso do Sambizanga tem 39 pontos e por isso com a permanência garantida na I Divisão. Mesmo que vença o jogo somará apenas 42 pontos podendo mudar da 6ª posição para a 5ª caso o Sagrada Esperança perca na Huíla e nada mais. Já o Kabuscorp, tem mais obrigação de lutar, pois a sua pretensão só poderá ser consumada caso vença o jogo diante dos militares do 1º de Agosto. Assim, podemos dizer que a equipa do Palanca também só depende de si para conquistar o 3º lugar e ter direito a um lugar nas Afrotaças.
Apesar desta realidade, acredito que teremos dois grandes jogos, especialmente no dos Coqueiros, em que o Progresso, não vai obviamente facilitar a vida do Petro. Por isso nem o mau momento que os sambilas atravessam por dificuldades financeiras poderá servir de desculpas para jogarem sem garra. Assim sendo, ao D\'Agosto só resta uma opção: atacar, atacar, atacar e fazer do ataque a sua principal defesa. Isto implica jogar com o pé no acelerador do primeiro ao último minuto, não dando hipóteses de adversário pensar e nem descansar.
Com jogadores como Mongo, Ary Papel, Nelson da Luz, Isaac, Bwá, Show, Dani Massunguna, Bobó, Paizo, Macaia e outros que de certeza absoluta não vão querer perder a grande oportunidade de fazerem história não só a nível do seu clube como a nível nacional por conquistarem o campeonato por quatro vezes consecutivas, os militares são favoritos com 60% de probabilidades. É importante lembrar que na história do 1º de Agosto, não existe ninguém que foi tetra campeão. Os primeiros a sagrarem-se tri-campeões consecutivamente foram os da geração de Ângelo, Napoleão, Lourenço, Ndunguidi, Zeca, Amândio, Ivo, Tandu, Nsuka e outros de 1979 a 1981.
O Petro de Luanda, que já conquistou por cinco vezes consecutivas o Girabola Zap na década de 80, vai jogar com os ouvidos atentos no 11 de Novembro, também com o pé no acelerador e a espera de uma escorregadela dos pupilos de Dragan Jovic, para colocarem, fim ao um jejum de dez anos sem ganhar nenhum campeonato.
Job, Tiago Azulão, Tony, Herenilson, Manguxi, Carlinhos, Caranga, e outros farão das tripas coração para saírem dos Coqueiros com os três pontos na bagagem.
Sim, não restam duvidas que esta ultima jornada do Girabola Zap será de alta tensão e imprópria para cardíacos. Tendo em atenção o \'stress\' que estes dois jogos poderão estar a causar aos adeptos das equipas envolvidas é imperioso lembrar-lhes que trata-se apenas de uma competição desportiva. Por isso, não devemos encarar os adeptos de outras equipas como inimigos. Temos de encarar o desporto, no caso o futebol como um concurso de dança. Os demais concorrentes são apenas adversários e não inimigos.
Com este tipo de pensamento ou mentalidade podemos evitar situações dramáticas causadas por excessivo fanatismo. Porque enveredar por vandalismo para ser detido ou perder a sua vida por causa de uma partida de futebol onde até você como adepto não é tido nem achado na hora da festa? Quantas pessoas já não fazem parte do mundo dos vivos ou estão presas até hoje por comportamento nocivo em partidas de futebol e nunca receberam nenhuma ajuda ou visita dos seus ídolos? Porque estragar o seu coração com emoções que são passageiras e não te dão lucro algum?
Se você for do tipo de pessoas que não se contem ou fraco em situações de alta tensão como é o caso de jogos do tipo que vamos vivenciar neste domingo, então, desligue-se totalmente dos eventos e consulte o resultado no fim ou no dia seguinte.
Cada um apoia o seu clube de coração. Mas não nos esqueçamos: a nossa vida e a de outros vale muito mais que um entretenimento de 90 minutos, como caracteriza o o próprio futebol. É preciso demonstrar isso, agindo com "fair-play", como um verdadeiro desportista assim como os próprios actores do espectáculo. Deve-se preservar o "fair-play", vendo a nossa equipa perdendo ou ganhando.
Domingo haverá campeão do Girabola Zap. Se for o clube pelo qual somos aficcionados ter-se-á motivos para alegrar-se. Mas é imperioso que se faça isso com responsabilidade respeitando os outros, controlando as emoções e evitando os excessos. Deve-se, acima de tudo evitar vandalismo nos estádios e nem fora deles!...Augusto Fernandes

Últimas Opinies

  • 11 de Novembro, 2019

    O sabor da Dipanda

    O 11 de Novembro é uma data que representa um verdadeiro símbolo da identidade dos angolanos e do país, em si, desde que se libertou das amarras do regime colonial. Portanto, há 44 anos, num dia como hoje, o saudoso Presidente Doutor António Agostinho Neto proclamou perante a África e ao Mundo a Independência Nacional.

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Acho que a condecoração vem em boa hora. Devia haver melhor critério, mas não deixo de louvar a atitude do Presidente da República. (...)

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Denncias, SIC e PGR

    Certa vez, sem receio de punição, a demonstrar que tinha algum trunfo na manga para provar, o então presidente de direcção do Recreativo do Libolo, Rui Campos, chegou a acusar que os árbitros indicados pelo Conselho Central de Árbitros da Federação Angolana de Futebol manipulavam os jogos e resultados da equipa de Calulu, no sentido de, na altura, impedir a revalidação do título.

    Ler mais »

  • 09 de Novembro, 2019

    Festa da Dipanda e os feitos desportivos

    Angola assinala dentro de sensivelmente dois dias 44 anos desde que se libertou das amarras do regime colonial.

    Ler mais »

  • 09 de Novembro, 2019

    Desporto de unio nos 44 anos da Nao

    Hoje, como não podia deixar de ser, neste espaço escrito “A duas mãos”, acordamos em falarmos da trajectória do nosso desporto, ao longo dos 44 anos de Independência que o País tem.

    Ler mais »

Ver todas »