Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Noventa minutos de muito sofrimento

15 de Março, 2018
As atenções dos amantes do futebol (e não só) vão estar centralizadas amanhã e sábado na África do Sul, onde o Petro de Luanda e o 1º de Agosto definem o futuro nas competições africanas de clubes.
Depois do que foi produzido nos primeiros 90 minutos, nas provas em que cada equipa está engajada, petrolíferos e militares têm de encontrar argumentos capazes de superarem os objectivos dos seus opositores. Objectivos também partilhados por si.
As contas são simples e está tudo em pratos limpos. As equipas do Petro e do 1º de Agosto sabem perfeitamente o que têm de fazer, para garantirem o apuramento para a fase seguinte da Taça Nelson Mandela e da Liga dos Campeões, respectivamente. Todavia, a tarefa de ambos adivinha-se hercúlea.
No caso concreto do Petro de Luanda, depois do empate nulo nos primeiros 90 minutos, não resta alternativa senão vencer amanhã às 19 horas o Supersport United, no estádio Lucas Masterpieces Moripe, na cidade de Pretória.
Um empate com golos é a alternativa para o conjunto do eixo viário apurar-se para a última eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça Nelson Mandela.
O facto de não consentir golo em casa, pode ser o tranpolim a encaixar-se nos objectivos da equipa petrolífera.
O Supersport United está a fazer uma época atípica. Ocupa, actualmente, a 14ª posição na tabela classificativa com 27 pontos, ao cabo de 24 jornadas. Contudo, os números não elevam a estima do Petro de Luanda. Aliás, nos primeiros 90 minutos disputados no Estádio 11 de Novembro, a equipa sul-africana demonstrou capacidade competitiva superior, reflexo do maior número de jogos já realizados. O importante, para o conjunto dirigido por Beto Bianchi, é sair de Pretória inteiro, como faz no Girabola, ou seja, continuar com a demonstração de qualidade da equipa e também preparar situações relevantes para o futuro.
O 1º de Agosto, por seu turno, apesar de entrar para o relvado em vantagem, reflexo do 1-0 com que venceu o Bidvest Wits no Estádio 11 de Novembro, também vai ter 90 minutos de muito sofrimento.
É verdade que o 1º de Agosto está disposto a desestabilizar a equipa sul-africana no seu proprio reduto. Pode perder, por até um golo de diferença, contanto, que faça pelo menos um golo. Derrotado por 1-0, na primeira mão, o Bidvest Wits precisa de uma vitória por 2-0 ou dois golos de diferença para chegar à fase de grupos da Liga dos Campeões.
A equipa do rio seco tem de jogar como o fez nos primeiros 90 minutos, ou como jogou com o Kabuscorp no domingo: com confiança muito grande nas ideias da equipa, individualmente também, com alguns jogadores a transportarem para o jogo e a demonstrarem a qualidades que têm. Caso o 1º de Agosto pretender de facto entrar na fase de grupos da Liga dos Campeões, não pode sair de Joanesburgo derrotado. Por isso, vai ser um jogo de alto risco para as suas ambições.
Quem perder fica de fora da Liga dos Campeões e deve ser repescado para jogar a derradeira eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça Nelson Mandela.
O Bidvest Wits vai dificultar a vida à equipa do rio seco, mas vai ser um bom jogo porque as equipas já se conhecem e não se limitam a defender. Na prova continental, há outras exigências, há uma intensidade fisica e emocional muito mais que na prova interna.
Claro que se olharmos para a qualidade do adversário, campeão sul-africano em título, pode-se considerar como frisei mais acima, um jogo de alto risco, porém, depois na prática muitas vezes não acontece. Contudo, o 1º de Agosto não pode fugir às suas responsabilidades e daquilo em que confiamos, o seu trabalho é respeitar o adversário que neste momento ocupa a oitava posição com 29 pontos em 23 jogos realizados.Vão ser partidas muito complicadas quer para o Petro de Luanda, como para o 1º de Agosto.
As duas equipas devem estar preparadas para enfrentar as situações que vão suceder durante os 90 minutos.
Os seus adeptos e os angolanos no seu todo, têm absoluta certeza que podem desempenhar bom papel e atingirem os objectivos.
Vamos acreditar!
POLICARPO DA ROSA

Últimas Opinies

  • 09 de Dezembro, 2019

    Ruben chegou, viu e permaneceu

    O técnico argentino Rúben Garcia é o técncio estrangeiro que mais tempo esteve no  Girabola.. Desembarcou em 1982 para estar ao serviço do  1º de Maio de Benguela, para, depois,  orientar a  Académica do Lobito, FC.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Do amor ideologia, devoo ao dinheiro

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Prova influenciou a media desportiva

    O “Girabola”, pode-se agora afirmar, influenciou sobremaneira a formação da Redacção Desportiva da RNA. Aquele mencionado quinteto de radialistas havia-se tornado insuficiente para a demanda, sobretudo a partida dos dois últimos.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Notas da Histria do nosso futebol

    A história oficial do futebol angolano teria de  começar pelas décadas de 1920-30-40, porém, vamos aqui cingir-nos ao tempo de Angola já independente. E não se iria festejar a independência sem se jogar à bola; seria incaracterístico de um povo amante do futebol.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Arbitragem de poca em poca

    A história do Campeonato Angolano de Futebol, Girabola, como também é conhecido, é repleta de factos curiosos em termos de arbitragem. O campeonato é considerado por muitos especialistas do futebol, como um dos mais disputado do nosso Continente, o que é diferente de ser o melhor.

    Ler mais »

Ver todas »