Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O choro do Coreano e a festa no Rio Seco

24 de Outubro, 2017
Já sem os \"condimentos de jogo\" proporcionado nos tempos em que víamos ou assistíamos em campo referências do 1º de Agosto como Napoleão Brandão, N’dungidi, Alves, N’suka, Vieira Dias, Tandu, Manico ou pelo ASA, Cuba, Chinguito, Bento, Rola, Lutandila, Ernesto e Eduardo Machado (ASA), eu prefiro ver para crer o jogo da próxima jornada entre militares e aviadores.
A partida é aguardada com grande expectativa, o 1º de Agosto está a realizar um campeonato regular, como provam os resultados, mas eu sinceramente não gostaria ver o antigo jogador do ASA, Coreano, a chorar de nostalgia, vendo a sua equipa a perder, sobretudo agora que está...presa por um fio.
Desde já, para mim, oxala haja só decisão no 1º de Agosto-Kabuscorp para o ASA continuar onde surgiu em 1979. Se baixar todos, até a FAF, sentir-se-ão... órfãos.
Hoje repito, mais uma vez: o culpado do caminho aberto pelo 1º de Agosto, no sentido de estar à beira do título é o Sagrada Esperança que obrigou o Petro de Luanda a quase morrer, já na praia, depois da boa travessia que fez até à saída da 27ª jornada.
Por esta razão considero que a ponta final do Girabola ZAP deste ano - se comparado ao de 2016 - perde muito, em termos da expectativa de quem pode ou virá a ser campeão, porque, do ponto de vista teórico e virtual, do 1º de Agosto diz-se que já é, sobretudo depois daquela \"bandeira\" dada pelo Petro na casa do Sagrada Esperança, de tal sorte que a malta toda agostina sorri, mas a bem sorrir, com uma vitória platónica sobre o ASA, na próxima jornada. Os agostinos são demasiadamente futuristas!
Apatece-lhes recordar que em 2016 a conquista do título confirmou-se emotivamente só e apenas na última jornada, ainda por cima ( e vejam bem, meus senhores!) quando o 1º de Agosto teve que \"festejar\" da pior forma. Perdeu diante do Petro de Luanda, por 0-1, isto já em jogo da 30ª e última jornada, com o bonito golo solitário deste brasileiro Azulão que, neste ano de 20017, é o líder dos artilheiros, superando o agostinoRambé.
É claro que, na altura, o 1º de Agosto já tinha o título assegurado, mas no corrente ainda que não seja de novo com o Petro - porque o calendário assim não as permitiu - eu gravava de ver repetida toda aquela movimentação em campo com craques com a mestria de um Tiago Azulão, um Job, um Geraldo, enfim, senhores da bola, tratando-a por tu, fazendo e interpretando lindamente leituras de jogo dos seus treinadores, que não sei se acontecerá... quando o 1º de Agosto defrontar o ASA, na próxima jornada.
E para a malta do futebol e não só a pergunta que não quer calar é mesmo esta: este ASA que tem passado por cíclicas crises nas três últimas épocas ( e a deste ano é a pior), por falta de dinheiro e pelo desnível qualitativo do plantel será mesmo capaz de bater o pé ao 1º de Agosto, empurrando-o para a última jornada onde cruzará com o Kabuscorp do Palanca?
Só posso responder que o 1º de Agosto não pode ainda cantar vitória antecipada só porque o ASA está desgraçadamente a lutar pela permanência. Esta condição dos aviadores pode ser letal aos militares, na medida em que entrarão em campo com a tal ideia de que...\"se perdido por um então perdido por mil\". Isto é, aconteça o que acontecer \"vamos ao jogo taco a taco\".
E mais: o 1º de Agosto tem de levar a sério o \"aviso\" do treinador do ASA, que até agora tem repetido grande optimismo: \"Confio na minha rapaziada e no trabalho realizado. Sabemos das dificuldades a encontrar, mas estou convencido de que vamos continuar na primeira divisão, nunca baixámos de divisão, desde o inicio do Girabola. Não será desta vez\".
Meus senhores, não foi este mesmo ASA que poderosamente em 2004 goleou o 1º de Agosto por 8-1? Não é este mesmo ASA que em 1979 ( embora se designasse TAAG) que goleou o Desportivo do Changongo por 11-1, registo este nunca superado até hoje por outra equipa? Não é este mesmo ASA que já foi campeão nacional?
Ao1º de Agosto não retiro todo o mérito logrado até a esta etapa do campeonato. Só tem de ter, por isso, muita calma para no dia do jogo com o ASA não perigar e deixar de festejar o seu vigésimo quarto título, justamente neste ano em que completou quarenta anos (1977-2017).
Sei que o 1º de Agosto quer festejar em grande, com a avidez na \"desforra\" dos tais 8-1, na 12º jornada de 2004, em a equipa do Rio Rico depois veio a público justificar que a derrota foi alegadamente afectada pelas expulsões de Delgado na primeira parte e Stopirrá e porque também foi disputado à porta fechada por castigo federativo resultante de desacatos provocados por adeptos militares no encontro com o Santos FC. Lembram-se? É por isso que até hoje o 1º de Agosto tem procurado redimir-se. Será desta?
ANTÓNIO FELIX

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »