Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O desporto e a constituio

14 de Fevereiro, 2019
O país celebrou no passado dia 5 o 9º aniversario da promulgação da Constituição da República, com a data de 5 de Fevereiro 2010, que ditou o nascimento da terceira república. Acompanhou o nascimento da nova república e foram também consagrados nela. Poucos dias depois da promulgação da nova Constituição da República, foi organizado o maior evento desportivo do continente, o Campeonato Africano de Futebol CAN 2010 e outros eventos foram seguindo como o mundial de Hóquei Patins, o primeiro realizado em África.
O que nos diz o artigo 79 da magna lei que rege o nosso país? “O Estado promove o acesso de todos ao desportos e estimula a participação dos diversos agentes na sua efectivação e o seu exercício”.
Afinal o artigo 79 chama a atenção do Estado para a manutenção do exercício da actividade desportiva, mas o que parece, as coisas andam de mal a pior, articuladas ao esquecimento, deixadas para a última hora. Ou seja, o desporto vem na agenda do Governo quando já não se tem problema para resolver. É o que parece.
O Presidente da República concedeu, desde à sua chegada ao poder, duas entrevistas colectivas aos jornalistas, onde não foram colocadas nenhuma pergunta sobre o desporto e cultura. Eu estava ansioso para ouvir o que pensa o PR sobre a situação do desporto no país? Esta era a minha pergunta, que levei no dia da entrevista colectiva, mas vi-me barrado no portão do palácio pela guarda presidencial, porque o meu jornal não estava na lista dos órgãos de imprensa inscritos.
“Você é jornalista desportivo? Isso aqui não, aqui não é para desporto é melhor não te aproximares mas” disse-me um militar da guarda presidencial, além da boina virada, usava óculos escuros que me fizeram viajar pelos filmes do Rambo e dos ninjas americanos. Afinal não é só problema de quem governa, mas de todos nós.
Nós temos avaliado os bilhões que arrecada o governo americano com a NBA, o famoso fisco espanhol, que acaba de condenar o técnico José Mourinho, depois ter feito o mesmo com Cristiano Ronaldo e Leonel Messi. Também acompanhamos os bilhões da liga inglesa de futebol, os grandes investimentos das infra-estruturas desportivas no mundo fora. Tudo isso nos diz que temos que acordar e levar a máquina mais a sério. Desporto não é um passa tempo, é um meio em que se cultiva o patriotismo, a boa saúde e a sã convivência. Combate o desemprego, a criminalidade juvenil, contribui na diversificação da economia, que é a música mais tocada nos últimos três anos em Angola.
Edvaldo Lemos

Últimas Opinies

  • 14 de Outubro, 2019

    Objectivo alcanado

    Terminou na passada sexta-feira, em Benguela, o Campeonato Africano de futebol para amputados, que durante dias a fio juntou naquela cidade do litoral angolano seis países, sendo cada qual com a sua capacidade competitiva, com a sua ambição e com a sua meta estabelecida no certame.

    Ler mais »

  • 14 de Outubro, 2019

    Mais um campeonato sem clima de Girabola!

    Já se tornou costume dizer-se, que os campeonatos de futebol da primeira divisão, não importa o país em que se realiza, devem dar aos prosélitos e amantes do futebol o que eles mais querem ver.

    Ler mais »

  • 14 de Outubro, 2019

    Devolver o basquetebol aos seus

    Ver um clássico do basquetebol nacional hoje as vezes dói. Continua a ter alguns bons executantes é verdade. Carlos Morais,Valdelicio, Armando Costa e uns poucos são ainda os tais que nos mantém nos sofás.

    Ler mais »

  • 12 de Outubro, 2019

    Os nossos embaixadores e a lotaria da Champions

    Há quase 40 anos a participar nas provas da Confederação Africana de Futebol (CAF), nesta época, pela primeira vez na história, o desporto-rei no país testemunha a presença simultânea de duas equipas angolanas na fase de grupos da maior prova de clubes continental.

     

    Ler mais »

  • 12 de Outubro, 2019

    possvel o 1 de Agosto e o Petro chegarem l!

    A entrada dos dois colossos do futebol angolano, para a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos, é um feito transcendente e que pode despoletar outros benefícios mil, se tivermos em conta toda a avalanche de interesses que encarna as hostes de um e de outro que, decididamente, partem em busca da conquista da África do futebol.

    Ler mais »

Ver todas »