Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O Egipto de Moiss

14 de Abril, 2018
Logo que se apercebeu de que o papá havia de viajar para o Egipto, Tchica ficou séptico. Soube através das irmãs e esperou pelo meu regresso à casa. O meu primeiro filho, antes dele só tenho filhas, seguiu-me ao quarto, em silêncio, esperou o momento em que eu descalçava para perguntar: - É verdade que o papá vai no Egipto?
- Pará ele parecia algo surreal. Provavelmente por influência da novela \"Os Dez mandamentos\", que assistem na televisão. Logo que confirmei, outra questão!
- É mesmo o Egipto de Moisês?
- Mas, à segunda pergunta, o rosto do rapaz denotava alegria e desejo de também embarcar. Ao perceber, de mim, o sim à sua questão, soltou o desejo nostálgico de um dia conhecer o Egipto.
- Por isso é que não deves brincar na escola. Estuda, porque quem estuda, depois pode conhecer o país que quiser.
- Aproveitei a ocasião para lhe mostrar a importância da escola.
- Então o papá vai ver o Moisês?
- Para meu filho a novela acontece em tempo real. Acha que ainda se vive a escravatura do povo de Deus. Se seguir meu conselho, logo se aperceberá da realidade. Vai saber da ficção que há na novela e sua função. Esta conversa ficou gravada na minha mente. Agora, daqui, vejo um Egipto novo, a normalizar-se, depois de alguma turbulência política nos últimos anos, por culpa de uma tal primavera. Sinto vontade de falar mais ao Tchica, dizer-lhe que é o Egipto de Moisês, o das primeiras civilizações ao longo do Nilo, mas sem escravatura. Fazer o Tchica saber que Cairo, a capital, vive 24 horas, para lá das tramas palacianas que vê na novela.
O Tchica precisa saber que há desejo do nosso país em fortificar relações com o Egipto e isto a novela não diz. Precisa saber que recentemente nosso Presidente da República, João Lourenço, escreveu para o seu homólogo do Egipto, Abdel Fattah Khalil Al-Sisi, a felicitar pela sua reeleição. Aquilo que tenho certeza de que o puto vai saber, como aliás todo o país vai tomar nota, é das façanhas que o 1º de Agosto e Petro de Luanda vão fazer nestas terras, durante a disputa da 34- edição, da Taça das Taças em andebol sénior feminino. Vão saber que o Cairo, cidade sede, está nem aí com o evento, nenhum \"outdoor\", nem nada. Se alguém sabe da realização, aqui, desta prova, assim o soube \"boca a boca\", é praticante, ou muito afeiçoado.
Fazer saber destas coisas é o que me trouxe ao Egipto, \"de Moisês\"!

Últimas Opinies

  • 09 de Dezembro, 2019

    Ruben chegou, viu e permaneceu

    O técnico argentino Rúben Garcia é o técncio estrangeiro que mais tempo esteve no  Girabola.. Desembarcou em 1982 para estar ao serviço do  1º de Maio de Benguela, para, depois,  orientar a  Académica do Lobito, FC.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Do amor ideologia, devoo ao dinheiro

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Prova influenciou a media desportiva

    O “Girabola”, pode-se agora afirmar, influenciou sobremaneira a formação da Redacção Desportiva da RNA. Aquele mencionado quinteto de radialistas havia-se tornado insuficiente para a demanda, sobretudo a partida dos dois últimos.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Notas da Histria do nosso futebol

    A história oficial do futebol angolano teria de  começar pelas décadas de 1920-30-40, porém, vamos aqui cingir-nos ao tempo de Angola já independente. E não se iria festejar a independência sem se jogar à bola; seria incaracterístico de um povo amante do futebol.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Arbitragem de poca em poca

    A história do Campeonato Angolano de Futebol, Girabola, como também é conhecido, é repleta de factos curiosos em termos de arbitragem. O campeonato é considerado por muitos especialistas do futebol, como um dos mais disputado do nosso Continente, o que é diferente de ser o melhor.

    Ler mais »

Ver todas »