Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O fim da subveno chega ao andebol

02 de Junho, 2015
O fim da subvenção é das medidas cuja necessidade há muito se fazia sentir. Não havia justificativa. Tenho plena certeza de que o fim da “subvenção” à assistência aos jogos de andebol não tem a ver com a crise que se alega no crescimento, às vezes injustificado, que se assiste no preço de diversos produtos e serviços em todo o país.
Assistir de borla ao jogo, cada vez mais espectacular, de andebol estava a ser um ritual fora do contexto desportivo angolano e não só, se considerarmos que o futebol, o basquetebol e outros espectáculos, às vezes menos vistosos, são pagos. Não poucas vezes, a preço de ouro!
Embora pudesse servir-me deles, não vou chamar para esta reflexão os encargos de quem organiza. Não vou citar os rios de dinheiro que os clubes pagam para manterem os fazedores do andebol.
A justificativa está no próprio jogo de andebol, que felizmente para nós, tem o condão de colocar frente a frente as melhores unidades que a África tem. Os dribles de Natália Bernardo, a espectacularidade de Moreno ou a potência do remate de Azenaide Carlos têm valor, em qualquer sala onde sejam exibidos, aqui ou estrangeiro, para não serem visualizados sem qualquer compensação.
Encorajo, por isso, a Associação Provincial de Andebol de Luanda pela audácia, pela coragem que teve de fechar os portões a quem se deslocou para a Cidadela com intenção de sentar-se numa sala limpa, com garantia de segurança, para pagar pela ginguba e refrigerante, mas ter o jogo de andebol servido de bandeja.
Para outros as portas escancararam-se. Abriram-se- lhes porque sabem valorizar o trabalho que se faz com o andebol. É verdade que 300 kz não é grande coisa. Concordo!
Serve apenas para começar, dar às pessoas a noção de que para ver espectáculo paga-se.Tomara que esta iniciativa sirva de exemplo para os campeonatos nacionais, africanos e outros que temos visto por aí atirados para quem se queira deleitar.
Silva Cacuti

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »