Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O Pblico nos jogos dos Palancas Negras

01 de Outubro, 2018
Ao que me parece, se a Federação Angolana de Futebol, pudesse no mínimo perceber que os jogos realizados pelos Palancas Negras no Estádio 11 de Novembro, fossem considerados como um ponto alto dum forte contacto emocional entre os adeptos, a marca Palanca Negra e a equipa de futebol, não haveria uma abundância do chove e não molha em volta do assunto.
Creio que se o departamento de marketing da FAF, se focasse nos aspectos referidos acima, que passam pela simbiose entretenimento e comunicação bidirecional L, penso que a marca Palancas Negras, conseguiria melhorar a sua performance ao nível da assistência aos jogos da selecção nacional (e não só).
Por exemplo, por que razão nos jogos dos Palancas Negras não se selecciona o melhor adepto, tendo como critérios de eleição a maneira como ele se vestiu ou na maneira efusiva como apoiou a selecção nacional?
Por que razão não se entrevista, durante os jogos adeptos mais eufóricos e se publicam as mesmas numa página oficial do Facebook junto com layout dos patrocinadores oficias ou do principal patrocinador dos Palancas Negras? Muitas selecções nacionais por esse mundo fazem-no, e com enorme sucesso. Mesmo não tendo excelentes resultados desportivos.
Veja-se o caso da selecção da África do Sul, os mais conhecidos como Bafana-Bafana, que através do seu departamento de marketing permite aos adeptos da selecção acompanharem de perto o dia-a-dia da selecção nacional antes dos jogos, inclusive tratando os próprios adeptos como se fossem os décimos segundos jogadores em campo, não apenas apoiando a selecção.
Ou caso mais recente como a selecção do Marrocos que durante o mundial de futebol Rússia 2018, partilhou imagens exclusivas do balneário da selecção antes dos jogos, na sua página oficial do Facebook!
Hoje por hoje, no mundo do futebol de uma forma geral, e das selecções nacionais de uma maneira \"sui generis\", não adianta muito fazer conferências de imprensas, longas e detalhadas a informar onde e como o público deve adquirir os ingressos para terem acesso aos jogos.
É preciso engajar e envolver de forma apaixonada e emotiva os adeptos do maior clube de Angola, porque senão, um dia deixará de haver disponibilidade dos mesmos para o consumo de produtos da selecção nacional, como jogos, merchandising, entre outros.Diz-se que em tempos de crise, temos de ser criativos! Só que há criativos e criativos!E a diferença entre os mesmos se resume num simples facto:
Por um lado, há os que gostam de inventar mal, e ainda por cima com a cabeça cheia.E há os que gostam de copiar bem e fazem-no com a cabeça bem-feita.
*Mentor e Gestor Executivo do Fórum Marketing Desportivo
Zongo Fernando dos Santos

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »