Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

O segundo pecado da FAF

19 de Agosto, 2019
A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza. O que se assistiu no CAN do Egipto, foi o epicentro da desorganização. Uma selecção, motivada para fazer uma boa prova, não foi capaz, porque a direcção da FAF não preparou as condições mínimas para o efeito. No terreno da competição, a FAF ainda brindou os adeptos do futebol nacional, com uma situação anedótica. Primeiro, acertou dias antes, com a Federação Sul Africana de Futebol, um amistoso e 24 horas antes desmarcou. Afinal, a direcção da FAF não tinha acertado com o seleccionador nacional esta pretensão. Os Sul africanos reagiram, negativamente, à falta de seriedade da sua similar. Não satisfeita, a Federação Angolana de Futebol ainda protagonizou um filme de Tom e Jerry. Ou seja, incapaz de honrar os seus compromissos com os jogadores e a equipa técnica, tentou imputar a responsabilidade do mau clima do balneário, à imprensa. Alguns de nós (\"jornalistas\"), patrocinamos a brincadeira da FAF. No final da competição, as declarações do extremo Djalma Campos acabaram por confirmar tudo, o que já se sabia: a direcção da FAF estava desorganizada. Sem antes dar uma explicação, sobre o cocktail de problemas que protagonizou no Egipto, manteve a arrogância e por conta disso, o então seleccionador não aceitou orientar os Palancas Negras no CHAN. Resultado: eliminados do CHAN e com centenas de dólares deitados ao lixo. E, quando se esperava que a direcção de Artur Almeida fosse baixar a guarda, procurar (sabe-se lá como e onde) recuperar a sua imagem e dar um rumo diferente as coisas, eis, que nos apresenta um comunicado, a anunciar a rescisão \"amigável\" com o seleccionador, ignorando todos os apelos dos jogadores e da sociedade adepta do futebol, para manter o treinador. Como podia rescindir, amigavelmente, se existia um conjunto de problemas com o treinador, resultante, sobretudo, da sua desorganização e falta de seriedade? Seria alguma surpresa se os Palancas Negras não fossem capazes de se qualificar ao próximo CAN, ou chegar longe nas eliminatórias para o Mundial? Reitero, é necessário que as Associações e os clubes mostrem que se importam com a modalidade, em particular o órgão gestor. É uma questão de respeito para com quem lhes dedica alguma atenção, no meio de tantas preocupações sociais e económicas. Façam alguma coisa, senhores do Futebol!. Pior do que está, não pode descer mais.
Teixeira Cândido

Últimas Opinies

  • 17 de Fevereiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    Aproveitamos para encorajar os atletas, à equipa técnica e endereçámos uma palavra directa ao treinador e à Federação.

    Ler mais »

  • 17 de Fevereiro, 2020

    A prata de casa

    Circularam informações nos ‘midias’ e particularmente no nosso jornal, na semana finda, dando conta do possível regresso de Carlos Dinis ao comando técnico da Selecção Nacional de basquetebol sénior masculina.

    Ler mais »

  • 15 de Fevereiro, 2020

    Grandes focados no topo do Girabola

    Depois de verem gorados os seus intentos de chegarem a última etapa da Liga dos Campeões, mais concretamente nas meias-finais, pela fraca prestação conseguida na fase de grupos desta maior prova da Confederação Africana de Futebol (CAF), 1º de Agosto e Petro de Luanda estão agora focados no Girabola Zap.

    Ler mais »

  • 15 de Fevereiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    Entramos bem. Criamos oportunidades de podermos sair a ganhar nos primeiros 45 minutos, mas não conseguimos porque o nosso meio campo não conseguia transportar a bola para o ataque. Aliás, não é fácil jogar no campo do Desportivo da Huíla.

    Ler mais »

  • 15 de Fevereiro, 2020

    Problemas de sempre

    Em tempo de crise e em que se recomenda o aperto dos cintos, o nosso desporto vai-se revelando como um «parente pobre» do sector.

    Ler mais »

Ver todas »