Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Os pontos cedidos e a misso herclea

28 de Dezembro, 2019
Com saldo de uma derrota e um empate na presente edição dos grupos da Liga dos Clubes Campeões Africanos de futebol, o Petro de Luanda têm hoje uma tarefa colossal em Casablanca, Marrocos, diante da formação do Wydad local.
O seu oponente, que soma dois pontos ao cabo das duas jornadas já disputadas do Grupo C, também tem de fazer das “tripas coração” no duelo desta noite, em que actua na condição de anfitrião, para não colocar em “xeque” a sua campanha.
Porém, depois de desalojar o rival 1º de Agosto da liderança do Girabola Zap, a maior prova do futebol nacional, o Petro espreita hoje um bom resultado em Casablanca, frente ao Wydad, que nesse momento ocupa o segundo posto da Liga Marroquina.
Este deve ser o pensamento reinante no grupo orientado por Toni Cosano, depois da derrota de 0-3 em Pretória, África do Sul, frente ao Mamelodi Sundowns, e do empate a um tento diante da equipa do União Sportiv Medina (USM) da Argélia.
Os tricolores, que regressam aos grupos da “Champions League” 18 anos depois de assinalarem a sua estreia nesta maior prova de clubes da Confederação Africana de Futebol (CAF), estão proibidos de perder no duelo desta noite. Uma derrota pode estorvar os intentos da equipa chegar à outra fase da competição.
Por isso mesmo, atitude, espírito de missão e acima de tudo vontade de vencer são alguns dos trunfos que a turma do “Catetão” terá de utilizar para poder superar a força dos anfitriões, que, com certeza, não vão conceder quaisquer facilidades.
E uma vitória esta tarde ou na pior das hipóteses um empate abre boas perspectivas para os vices-campeões angolanos, que dentro de uma semana voltam a cruzar novamente com esta formação do Magreb, no Estádio 11 de Novembro, em Luanda.
Por outro lado, tendo em conta a “matreirice” das equipas da região do Norte de África, recomendam-se cautelas ao emblema do “Eixo-Viário”, para não ver a sua situação agravada da tabela de classificação geral do Grupo C desta “Champions League”, onde ocupa o último lugar, com os já referenciados um ponto. O Mamelodi Sundonws assume a liderança com quatro pontos, ao passo que o Wydad e USM partilham o segundo posto com dois cada. Daí adivinha-se uma grande refrega no fecho da primeira volta deste Grupo C da Liga dos Campeões Africanos.
Por seu turno, o campeão angolano, 1º de Agosto, não levou da melhor ontem, na condição de anfitrião, no embate frente ao Tout Puissant Mazembe da República Democrática do Congo (RDC), ao empatar a um tento.
Depois de terem sido carrascos da formação congolesa na edição de 2018 da “Champions League”, ontem os militares do “Rio Seco” desperdiçaram a oportunidade de superar o seu oponente, não obstante o TP Mazembe ter-se adiantado no marcador.
Apesar de não se tratar ainda de uma fase a eliminar, os agostinos vão a Lubumbashi, dentro de uma semana, para tentar contrariar equipa treinada por Pamphile Mihayo Kazembe, uma missão extremamente difícil, mas que não se afigura como impossível.
Aliás, na deslocação ao Congo-Democrático outro resultado não interesse ao 1º de Agosto senão a vitória diante deste mesmo TP Mazembe, que é sempre um “osso duro de roer” no seu reduto. Apontado como um dos sérios candidatas a conquista do título desta prova, a formação congolesa-democrática que se abeira de chegar aos 80 anos de existência, quer, como é óbvio, fazer história nesta edição da Liga.
Por isso, estando na liderança vai procurar acelerar ainda mais a passada sobre os demais concorrentes neste Grupo A, em que perfilam também o Zamalek do Egipto e o Zesco United da Zâmbia.
E o 1º de Agosto que quer voltar encantar África, depois do brilharete assinalado em 2018 da Liga dos Campeões, em que só foi travado pelo apito desastrado do zambiano Janny Sikazwe, que nas meias-finais deu de bandeja a vitória à equipa do Esperance de Tunis da Tunísia, que viria se sagrar campeã continental neste ano, terá de se aplicar a fundo se ainda espreita cortar a meta. De contrário, terá de se conformar e começar a idealizar já a próxima edição das Afrotaças. Os ver vamos...
SÉRGIO.V.DIAS

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »