Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio
por Augusto Fernandes

Petro deve definir o que pretende

21 de Fevereiro, 2019
O Petro de Luanda está a disputar três competições importantes a saber: Girabola, que já não ganha desde 2009, Taça de Angola e Taça da Confederação Africana. Desnecessário seria dizer, que não é uma empreitada fácil, pois ambas envolvem muito desgaste físico e económico.
Entretanto, na minha modesta opinião, parece que o seu treinador, o professor Beto Bianchi, é o que mais preocupado está com esta situação, a julgar pelas declarações que tem feito, antes e depois do jogos da sua equipa,
Por exemplo, contra o 1º de Agosto, antes do jogo, Bianchi colocou as três empreitadas em que o seu clube está envolvido, como um dos prováveis motivos de um presumível fracasso diante dos militares. Na sua entrevista no fim do jogo com derrota de 1-0, o timoneiro petrolífero usou o mesmo argumento para justificar a derrota, embora tenha dito que a sua equipa dominou o desafio.
Igualmente, antes do jogo contra o Desportivo da Huila, Bianchi voltou a dizer nas entrelinhas, que a equipa huilana faria tudo para dificultar os tricolores, por ser apadrinhada pelo 1º de Agosto. Aliás, Bianchi, simplesmente reforçou o pensamento do seu presidente, quando em tempos numa “guerrinha de palavras” contra a direcção dos militares, declarou que o D’Agosto entra no campeonato com seis pontos (supostamente oferecidos pelo Desportivo da Huila) de avanço, com relação aos demais clubes.
Com este tipo de discurso, o treinador do Petro está a preparar a massa associativa do seu clube, para os prováveis desaires nas três competições. Portanto, conhecendo melhor do que ninguém a equipa que tem, creio que Beto Bianchi, deve colocar esta questão à sua direcção, para definir qual das três competições é a mais importante.
É natural que o professor seja o que mais se preocupa, pois a quatro épocas que se encontra no comando técnico do Petro, só ganhou uma Taça de Angola, o que é muito pouco para um clube da dimensão e ambições dos tricolores da capital.
Pelo que temos observado, o Petro terá muitas dificuldades nas três competições em referência, pois os obrigará a efectuarem muitos jogos em curto espaço de tempo, como já está a acontecer agora.
Tendo em atenção o tempo de jejum de títulos que o Petro vive, creio que a conquista do Girabola 2018/2019, deve ser a grande prioridade, depois a Taça da Confederação e, por último, a Taça de Angola, a qual já ganhou mais de dez vezes.
Mesmo assim, o Petro terá muitas dificuldades para aguentar o número de jogos sucessivos, que terá de efectuar ao longo da época, pois a equipa depende muito de jogadores como Gerson, Job, Tony, Tiago Azulão, Herenilson, Vá, Manguxi, Carlinhos.
Sem jogadores deste naipe, o Petro tem muitas dificuldades para abordar qualquer desafio, porque a sua segunda equipa não dá muitas garantias. Ao longo da campanha do 1º de Agosto, em 2018, na Liga dos Campeões, vimos que foi importante o facto de a equipa técnica ter conseguido montar uma segunda equipa também coesa, para suportar o desgaste físico que as duas empreitadas causam aos jogadores.
Por outro lado, o professor Beto Bianchi terá efectuar um grande trabalho psicológico aos jogadores, para suportarem os momentos menos bons que, eventualmente, possam surgir ao longo das competições em que estão envolvidos.
Isto implica dizer também, que Bianchi deve ser o primeiro a proteger os seus jogadores das más línguas, nos momentos negativos da equipa, e não se deixar levar pela pressão dos adeptos ou opinião dos Medias, como aconteceu com o guarda-redes Gerson, que foi relegado para segundo plano, por causa do frango consentido diante do 1º de Agosto e que ditou a derrota dos petrolíferos.
Em minha opinião, castigar o Gerson, pela falha que teve não foi correcto e pode até criar outros danos ao jogador, que poderão levar tempo a passar. Gerson é um jogador muito influente nas contas do Petro, e não merecia o tratamento que teve por parte do corpo técnico.
De uma coisa o Petro pode ter certeza: o 1º de Agosto já se recuperou da fadiga das maratonas de jogos, que fez o ano passado. Foram quase doze meses de jogos ininterruptos, mesmo assim fez boa figura nas duas apostas que escolheu, tendo ganho o Girabola e só não jogou a final da Liga dos Campeões, porque foi impedido pelo árbitro que apitou a meia final.
Por isso, ao 1º de Agosto, só resta lutar pelo quarto título consecutivo, o que seria inédito no seu historial. Portanto, se o Petro não definir o que mais lhes interessa nesta época desportiva, terá muitos dissabores e Beto Bianchi, dificilmente continuará no comando técnico.
Assim sendo, é muito importante que o Petro, determine o que é o mais importante para si: o 16º título do Girabola ou a Taça da Confederação? Com as coisas bem definidas não haverá muita pressão, nem da parte da direcção, nem dos jogadores e muito menos da massa associativa.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »