Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Picadas de escorpies no dissecam Palancas

10 de Agosto, 2017
Antes de dizermos boa viagem - para Madagáscar - aos nossos embaixadores nesta corrida ao CHAN, porque só acontece amanhã e não hoje como o previsto, permitam-me dizer que, do \"confronto\" entre as selecções de Angola e Madagáscar, ou vice-versa - e digo confronto no sentido olímpico - eu apenas retive, até hoje, três resultados, sendo um favorável à selecção daquela Ilha Grande, por

0-1, em Luanda; e o segundo, um empate, por 1-1, em Antananarivo nas eliminatórias para o CAN de 1992. Depois ainda recordo um 1-1 a 3 de Setembro de 2016 para uma outra competição e, portanto, assim visto, os Palancas Negras nunca levaram a melhor.
E é por esta razão que, desta vez, para o CHAN...ou vai ou racha para o nosso grupo liderado por esse técnico espano-brasileiro, chamado Beto Bianchi.

E ainda bem que Beto Bianchi reconhece que os Escorpiões do Madagáscar são uma equipa difícil de \" roer\", à partida. Seja como for o nosso povo; adeptos da nossa selecção querem apenas cantar vitória na primeira mão para depois, na segunda, darmos o golpe de misericórdia aos tais escorpiões. Eles, os escopiõs, chegaram à última eliminatória porque, surpreendentemente, picaram \"mortalmente\" as Mambas (cobras) de Moçambique com vitória de 2-1 e empate 0-0.

Já noutro dia, noutro espaço escrevi que Madagáscar está invicto, isto é, sem conhecer derrota, isto em dez jogos disputados nos últimos tempos, principalmente ir ganhar em casa dos adversários em jogos de... \" ou vida ou morte\". Que o digam também as selecções de São Tomé, de Malawi e do Sudão! Temos é de ter cuidado com os avançados deles, dos quais pontificam rapazes que têm o ABC da bola, como Elgeco Plus, Claudel Fanomezana,   Bela e Njiva Rakotoharimalala.

Temos de aproveitar todos os pontos fracos que este adversário também possui, porque ele não tem apenas virtudes ganhadoras como se isto fosse a sua sina. Se faltam dois jogos para o \" duplo confronto\" que tem início no estádio Municipal de Mahama, lá em Antananarivo, já no domingo, onde a selecção local está concentrada desde segunda feira num centro de estágio denominado Carion, isto não pode ser estorvo aos Palancas.

Quero aqui recordar já a Biachi que em Maputo o técnico malgaxe Raux Auguste colocou cada jogador no seu lugar. Alinhou três atacantes no inabitual sistema 4-3-3, mesmo jogando fora. E um dado que teoricamente joga já a nosso favor é que, entre os \"jogadores escorpiões\", o lateral esquerdo titular Bakary Mario falhou a concentração devido a uma ligeira lesão e também face à sua indisponibilidade pode ser rendido por Zenith ou Tantely. E no meio de terreno, Ando Manoelatyso não fará parte do jogo. São escorpiões letais no levar avante o jogo ofensivo.

Mais ainda: nós não temos que entrar muito no jogo psicológico do treinador do Madagáscar, por via da espécie de \"recados\" velados que está a enviar. Ele disse isso, só para retermos : - \"Manteremos a nossa linha de jogo ofensivo. Angola não tem um estilo diferente de Moçambique, pois, são dois países lusófonos que apostam em lances e nas jogadas rasteiras fáceis de anular\". Mas esse treinador tem um capitão sincero e que um e conhece certamente que Angola é um peso pesado. Porque ela não diria o seguinte:

- \"Nós somos invictos. Até agora pareceu fácil, mas, pela próxima ( com Angola, portanto) será mais duro\". E depois acrescentou mais. \"Há uma certa pressão devido a aproximação dos dois jogos com Angola e isso dá motivação para o trabalho. Como capitão tenho incentivado aos meus colegas que faltam apenas mais dois jogos duros”, sinal de que não dissecarão os nossos Palancas.
Diante disto eu concluo: os Palancas podem esmagar escorpiões !
António Felix

Últimas Opinies

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    A eliminao do Petro e o tal patriotismo

    Terminada a participação Petro de Luanda, na Taça Nelson Mandela, é normal que por esta altura, esteja a ser feita uma profunda reflexão em torno da participação na referida competição africana, nos mais diversos aspectos que ela comporta, sem descorar, portanto, a (des) continuidade do técnico Beto Bianchi, que mais uma vez não conseguiu o troféu de uma competição em que esteve envolvido. 

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Palancas Negras de olhos no Egipto

    A Selecção Nacional de futebol honras, vulgo Palancas Negras, só depende de si para chegar à fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2019, que vai ser disputado no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Procuramos fazer tudo para vencer o jogo, mas não conseguimos, porque o adversário  (Recreativo do Libolo) foi competente e inteligente, assim como conseguiu aproveitar as nossas falhas defensivas e, em lances de bolas paradas, marcaram os dois golos.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Zebras para domar...

    A Selecção Nacional de futebol de honras, às ordens do sérvio Srdjan Vasiljevic, decide amanhã, em Franciston, Botswana, a qualificação para o Campeonato Africano das Nações (CAN), que o Egipto acolhe de 19 de Junho a 21 de Julho deste ano.

    Ler mais »

Ver todas »