Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Prevaleceu a irmandade

28 de Agosto, 2017
Heheheheheh... este sorriso não é de alegria. É amargo. Sarcasmo. porque, em rigor, não tenho motivos para estar alegre. Ganhei quando não se impunha e perdi, no pior momento. Má hora!

Se calhar não me deveria ralar, porque a vitória sorriu para o meu irmão, afinal.
Mais grave ainda! É um irmão que há muito luta para retirar-me os direitos de primogenitura. Ou pertencem a ele? Moçambique, você? Hummm, deixa só!

Tudo ia bem até apareceres. O Jornal dos Desportos já não tem a capa decorada com a foto de uma linda angolana a driblar a bola. O basquetebol feminino, raro assunto de manchete entre nós, foi coisa de pouca dura. E, isto tem um culpado!

Já é Moçambique demais. É Moçambique que nos tirou o melhor registo de um país africano, em classificações de mundiais de hóquei em patins. Neste particular, de jogar sobre rodas, verdade seja dita, eles têm sido os caras. Respeito! Mesmo que nos últimos dias os tivéssemos ganho, durante o estágio que ambas equipas realizam na Tuga, acabaram por vencer-nos na segunda oportunidade. Estamos em 50/50.

No futebol entregaram-nos dois golos e ficamos com a dívida. Mas é um povo irmão. Nossa irmandade está intacta. Já nos começamos a habituar. Um colega veio ter comigo a pedir vaticínio do jogo entre Angola e Moçambique, para os quartos-de-final do afrobasket feminino que decorre no Mali.

Fui coerente e disse-lhe que, apesar da campanha que vínhamos fazendo, cinco vitórias seguidas, as moçambicanas agigantam-se quando jogam com as angolanas. Ele sorriu e num triunfalista disse que \"desta vez a diferença de potencial não deixa dúvidas de quem vai à meia-final, primeiro contra quarto classificado?\"

Voltou para o seu ponto de trabalho, sem esperar novo comentário meu. Neste momento já deve estar a conviver com os traços da irmandade entre angolanos e moçambicanos, quando o assunto é desporto. Nossa irmandade tem sido assim, cavilosa. Na primeira esquina aplicam-nos uma rasteira. Mais chato é que, apesar de ter eliminado Angola, Moçambique não tinha os mesmos objectivos.

É provável que depois desta vitória tenham renascido esperanças. Leia Dongue e Odélia Mafanela realizaram-se a vingar a derrota para Angola, há quatro anos, no campeonato disputado em Maputo e deram uma ajudinha ao Senegal e à bigéria que queriam ver Angola pelas costas e são realmente favoritas. Prevaleceu a irmandade, mas isto não fica assim!
Silva Cacuti

Últimas Opinies

  • 21 de Março, 2019

    Zebras para domar...

    A Selecção Nacional de futebol de honras, às ordens do sérvio Srdjan Vasiljevic, decide amanhã, em Franciston, Botswana, a qualificação para o Campeonato Africano das Nações (CAN), que o Egipto acolhe de 19 de Junho a 21 de Julho deste ano.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    Se ontem o Petro caiu agora...viva a seleco !

    O reflexo do que é ( e ainda poderá ser por largos anos ) o insucesso do nosso futebol a alto nível dos clubes africanos foi mais uma vez demonstrado ontem no Quénia, onde o Petro de Luanda mesmo a jogar em vantagem numérica pouco fez para continuar a Taça CAF. 

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Temos de nos preparar bem para o jogo que será decisivo e estou convicto que iremos fazer este trabalho em conjunto, não temos muito tempo, agurada-nos um trabalho sério contra uma selecção que perdeu todas as partidas.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    L se foi o sonho...

    O Petro de Luanda, até ontem o único sobrevivente angolano nas Afrotaças, não conseguiu evitar a derrota frente ao Gor Mahia FC do Quénia, em Nairobi, num jogo em que estava “condenado” a não desperdiçar, na totalidade, os pontos em discussão.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    Os estreantes e o ritual de integrao

    Igor Vetokele regressa aos Palancas Negras, depois de muito tempo.

    Ler mais »

Ver todas »