Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Primeiro turno fecha no dia 20

09 de Fevereiro, 2019
Não obstante ter sido já disputado na íntegra a 15ª e última jornada do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, que nos últimos ganhou o cognome de Girabola Zap, as contas finais desta primeira fase da prova só poderão ser feitas a 20 do corrente mês. E tal sucede pelo facto de o Conselho Técnico e Desportivo da Federação Angolana de Futebol (FAF) ter alterado a ordem dos jogos em atraso do Petro de Luanda.
Nessa perspectiva, os três desafios que restam por disputar para o acerto do primeiro turno da maior prova do nacional sofreram alteração das datas inicialmente previstas devido ao engajamento do Petro de Luanda na 16ª edição da Taça da Confederação.
Os tricolores que começaram a disputar domingo último a fase de grupos desta segunda maior competição de clubes do calendário da Confederação Africana de Futebol (CAF) e perderam na estreia com o Nasr Hussein Dey da Argélia, em Argel, por 1-2, enfrentam como primeiro adversário na série de três jogos em atraso o arqui-rival 1º de Agosto.
Além deste dérbi dos dérbies número 77 com os militares, a equipa do Catetão vai ter ainda pela o Clube Desportivo da Huíla (CDH) e o Sagrada Esperança da Lunda Norte.
O jogo com os militares da Frente Sul, tal como o clássico com o 1º de Agosto hoje, vai ser disputado no Estádio Nacional 11 de Novembro, isto a 16 deste mês, ao passo que o confronto com os diamantíferos está aprazado para a cidade do Dundo quatro dias depois.
Como se pode ver será uma maratona intensa de jogos que a equipa orientada pelo hispano-brasileiro Beto Bianchi vai efectuar durante este período, já que além do Girabola Zap e das Afrotaças, estará engajada ainda na Taça de Angola.
Portanto, só depois da realização destes três jogos em atraso que envolvem o emblema tricolor do “eixo-viário” se poderão fazer as contas que impõem, para o efeito, em relação ao desfecho desta maior prova do nosso “association”.
Verdade seja dita, ao reassumir a liderança no último fim de semana, fruto da vitória de 2-0 sobre o Kabuscorpo do Palanca, no fecho da ronda 15, cujos golos tiveram assinatura de Macaia e Mabululu, o D\'Agosto só depende de si para terminar o primeiro turno como vencedor. Para tal tem de vencer o 77º dérbi com o Petro e referende a ronda 8.
E a se consumar a vitória agostina no dérbi dos dérbies, os tricolores não teriam como cortar a meta na liderança, no fecho das contas do primeiro, pois ainda que vencessem quer o duelo com o Desportivo, para 11ª jornada, quer o com Sagrada, para 6ª, somariam os mesmos 33 pontos, mas ainda ficariam em desvantagem no primeiro \'item\' de desempate, que passa pelo confronto directo. Agora um cenário que favorece o Petro para se sagrar vencedor do primeiro é o de vencer os três jogos em atraso.
Nesse caso, a formação do “eixo viário” cortaria a meta com 37 pontos, uma cifra, que para já, nenhum outro interveniente dessa disputa estaria em condições de atingir. Porém, nesta senda de terminar a primeira volta na liderança, o Desportivo da Huíla surge como equipa como menos chances de efectivar o desiderato.
Além de depender de terceiros, os comandados de Mário Soares teriam, irremediavelmente, de vencer o Petro, e esperar que o emblema tricolor quer no jogo de hoje com D\'Agosto, quer no outro com o Sagrada a 20 deste mês, perdesse, pelo menos, um - isto ainda que ganhe outro. Há também ainda a possibilidade de os tricolores e militares da Frente Sul terminarem igualados na pontuação.
Mas isto só ocorrerá sempre na perspectiva de o Desportivo vencer o confronto directo entre ambos e o Petro ganhar pelo menos um jogo e empatar o outro, dos desafios em que terá pela frente hoje ao arqui-rval D\'Agosto e ao Sagrada no dia 20.
Por outro lado, se até a presente data paira ainda no ar a incógnita em relação a equipa que vai fechar a primeira volta do Girabola Zap de 2018/2019 na “pole-position”, em relação ao meio e à cauda da tabela, tudo já está definido.
Nesse quesito, o Sagrada, com esperança bem delineada, pode, ainda, dar um passo avante na classificação. A equipa orientada por Agostinho Tramagal, nesse momento com 18 pontos no sétimo posto da tabela de classificação, pôde dar um salto até o sexto.
Nesse caso desalojaria o FC Bravos do Maquis, que seria, assim, relegado para um lugar mais abaixo com os mesmos 20 pontos. Porém, é ponto assente que a turma lunda só alcança o sexto posto, caso vença na recepção ao Petro de Luanda, dia 20 deste mês. Em caso de derrota ou empate no confronto com este manter-se-ia na sétima posição.
No que toca ainda aos lugares cimeiros da tabela, o Kabuscorp (no quarto lugar com 25 pontos), Progresso (quinto/22) são outras das equipas que estão bem na fotografia à passagem da 15ª e última jornada. O mesmo pode dizer-se dos conjuntos do meio da tabela, como Santa Rita de Cássia do Uíge (oitavo colocado com 18 pontos, Recreativo do Libolo do Cuanza Sul (9º/17), Interclube (10º/17), Recreativo da Caála (11º/17) e Académica do Lobito (12º/17), respectivamente.
Já sob a linha de água ou zona movediça do campeonato, como queira designar, surgem quatro equipas. Atlético Sport Aviação (13º colocado com 15 pontos), Sporting de Cabinda (14º/13), bem como o Saurimo FC (15º) e o Cuando Cubango FC (16º) com 11 pontos cada, são as equipas que estão na zona da despromoção. De resto, salta ainda à vista o facto de que quer no topo da tabela, quer no meio e até mesma na cauda, a diferença pontual entre as equipas não é assim tão significativa. Isso demonstra bem o quão equilibrado está o Girabola, a maior festa do futebol nacional. Por isso, as emoções continuam ao rubro. Está bem claro isso!!!...
Sérgio V.Dias

Últimas Opinies

  • 18 de Fevereiro, 2019

    Ateno... ateno, muita ateno mesmo!

    Embora seja uma avaliação ou classificação de certa forma (des) propositada, que continua em volta de alguma polémica e controvérsia, no seio dos profissionais clássicos e de classe do marketing desportivo, a verdade é que se tem defendido, e se vai defendendo, que na actual fase em que se encontra o exercício da profissão, abundam nela cinco (5) tipos de profissionais:

    Ler mais »

  • 18 de Fevereiro, 2019

    Quem mandou matar o jornalista desportivo?

    O jornalismo enquanto figurar no catálogo das profissões de "alto risco" há-de continuar a somar  indubitavelmente luto devido à sanha matadora das pessoas que não se querem deixar ficar na mira da verdade e, assim, serem sindicado pelo grande "quarto poder", que é a imprensa.

    Ler mais »

  • 18 de Fevereiro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Quando digo que a selecção precisa de apoio, não estamos a falar do público, que já está a dar o seu apoio.

    Ler mais »

  • 18 de Fevereiro, 2019

    A elite da AfroLiga

    As equipas de basquetebol do 1º de Agosto e do Petro de Luanda asseguraram passe para disputa da elite G8 da AfroLiga.

    Ler mais »

  • 16 de Fevereiro, 2019

    O indispensvel olhar para as infra-estruturas

    O estado em que se encontra mergulhado a maior parte das infra-estruturas desportivas do nosso país continua a ser um assunto bastante recorrente nos dias que correm.

    Ler mais »

Ver todas »