Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Quatro "insultos" do lder do Petro

18 de Outubro, 2016
Na verdade, na tal entrevista, o presidente do Petro de Luanda, Tomás Faria, sem medo de errar trouxe a lume quatro acusações, quatro insultos, que estão a mexer não só com a malta do 1º de Agosto - dirigentes - sócios e adeptos - mas também outra gente que acompanha estas duas grandes equipas, agora que o campeonato está animado no "grupo da frente". São dele estas quatro acusações.

1º- “Acho que o 1º de Agosto é sempre a equipa mais fácil de defrontar. Se não estiver acompanhado da arbitragem leva ‘porrada’ do Petro à vontade”.

2º - “Modéstia à parte, na primeira volta o jogo que fizemos para a 15ª jornada sofremos o golo aos três minutos e isso teve uma carga emocional muito forte nos jogadores Porque tivemos de lutar contra uma situação complicada já que o golo foi muito mal sofrido numa situação de fora-de-jogo.
3º - “O 1º de Agosto não tem equipa para jogar com o Petro. Apesar de ter bons talentos e executantes não tem equipa forte para jogar com o Petro”.

4 º- “Não considero um líder justo. Não fossem estes seis pontos ganhos de forma irregular, teria nessa altura, no maxímo, 51 pontos. Mesmo que fizermos todas as contas não passaria dos 51 pontos. Se for jogar com o Petro 11 contra 11 sem a influência de árbitros estou para ver a equipa do 1º de Agosto que vai vencer o Petro”.

Ora bem.Devido a estas "bocas" - passe aqui a expressão - já se pode imaginar que vai dar que falar o próximo jogo entre as duas equipas. Esta espécie de "guerra de presidentes" não é de hoje.

Quando alguns presidentes fazem acusações desta sorte, até mete dó, dá pena: porque, infelizmente, não são aproveitadas pelas instituições de direito a fim de punirem os infractores denunciados como manda a regra. Lembro aqui o que disse o ano passado o presidente do Recreativo da Caála, Horácio Mosquito. Irremediavelmente até hoje "nem água vem nem água vai". Mas, poequê, se ele até disse:

1º- "Houve campeonatos comprados e isso não começou hoje. E quando existe indício de crimes tem de haver formas de investigar. O que estou a fazer hoje é um grito de revolta, porque chegou o momento de dizer basta. A corrupção não é difícil de provar, temos provas de alguns clubes que dão prendas, ofertas, na tentativa de conseguirem alguns benefícios".

2º - "Eu já paguei árbitros internacionais lá fora e alguns árbitros aposentados, mas hoje não o faço, aliás, há muitos anos que deixei de o fazer, porque rapidamente percebi como isto funciona a partir do momento em que recebi uma denúncia de um árbitro internacional".

Posso também recordar o que revelou, de boca cheia, como se diz, o todo-poderoso presidente do Recreativo do Libolo, Rui Campos, sobre os árbitros, sobretudo, da arbitragem de Paulo Talaya, há dois anos, após o jogo da primeira mão da Supertaça de Angola, com o Petro de Luanda.
1º- "Estamos fartos do senhor Paulo Talaya! Há dois anos que persegue o Libolo. Hoje, tinha a lição bem estudada. Há fora de jogo no lance do penálti, nem sequer há falta para grande penalidade".

E ete ano, como jornalista, tomei outras notas. Do Petro de Luanda já ouvi o seu treinador principal, no entanto Beto Bianchi a dizer palavras pouco simpáticas contra o árbitro Hélder Martins, mas no caso dele, a Federação Angolana de Futebol teve a coragem de suspendê-lo por 30 dias e ainda por cima pagar 100 mil kwanzas de multa. E, mais: por causa disto não orientou o jogo com o 1º de Agosto.

Na altura os tricolores ocupavam a terceira posição com 27 pontos, menos quatro que o rubro - negros. Hoje, as duas equipas estão empatadas e Tomás Faria fez as acusações que fez. E uma delas, repito, a seguinte: Se o 1º de Agosto for jogar com o Petro 11 contra 11, sem a influência de árbitros, não estou a ver a equipa do 1º de Agosto... que vai vencer o Petro”.

Uma nota final. Que bicho também mordeu no domingo passado Romeu Filemon para- vejam só! - dizer antecipadamente que o 1º de Agosto já é campeão? Não há gato, aí? Os militares deviam exigir a prova disto. Porque se ficar assim...
António Felix

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »