Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Rssia superou todas expectativas

19 de Julho, 2018
O povo russo e os seus dirigentes, em particular, terão dado uma excelente reposta a todos quanto duvidaram de que teria competência para chamar a si as responsabilidades na organização do Mundial de 2018. Não há como encontrar “borrões” a um país que foi capaz de dar exemplos do bem organizar.
Depois do que se viu durante toda a competição, sobretudo para quem viveu a competição prestando toda a atenção aos bastidores da prova, como é o meu caso, não restará dúvidas de que foi um dos melhores que a humanidade teve o prazer de testemunhar. A opinião é unânime de que a Rússia superou todas as expectativas.
A hospitalidade do seu povo, a simpatia dos seus adeptos, que vivem intensamente o futebol, a beleza da suas cidades e a disposição de infra-estruturas e meios de transporte tornaram a prova excelente.
Não haverá, seguramente, quem não tivesse gostado deste Mundial. Porque teve tudo que se esperava dele: emoção, adeptos e jogos atractivos.
Um dos aspectos que mais me impressionou nessa organização, foi o facto dos estádios terem registado sempre grandes enchentes e mesmo em jogos que envolvessem equipas teoricamente mais fracas. E, nesse aspecto, pode-se afirmar que a Rússia superou todas as expectativas. É verdade. A procura de bilhetes foi intensa.
Como prova disso, a partir dos quartos-de-final já não havia ingressos para mais ninguém. E, para muitos, a alternativa foi viver as emoções a partir das telas gigantes dos “fan zone” espalhados pelas onze cidades-sede da prova.
O marketing do campeonato foi muito bem feito e o país acolheu milhares de cidadãos, provenientes dos vários cantos do mundo, sem quaisquer problemas. Aliás, tal era a dinâmica imprimida nos gigantes aeroportos retocados propositadamente para corresponder à demanda...
O que dizer mais de um Mundial onde teve de tudo. O público viveu o campeonato com alegria e sentimento de enorme segurança e regressou a casa satisfeito com os momentos de festa que teve a oportunidade de gozar. Tanto quando no interior dos estádios, fora deles também se viveu intensamente Mundial. Paulo Caculo, Moscovo

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »