Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

S faltam as condies

10 de Setembro, 2018
A vitória dos Palancas Negras, para além de necessária para manter de pé o sonho da oitava presença no CAN, traduz a existência de condições humanas para se buscar a reputação competitiva granjeada na primeira década de 2000, e que aos poucos por um sem número de situações foi se degradando. O treinador por aquilo que nos mostrou até ontem, merece toda a nossa fé. A qualidade da equipa é outra hoje ou melhorou substancialmente, graças a experiência que trazem os que militam na Europa e, uns poucos que jogam no futebol doméstico, e que se podem gabar de reunir a mesma maturidade competitiva dos colegas. As atenções agora devem ser colocadas nas condições materiais. Não faz sentido a equipa nacional ter que andar de um lado para outro para treinar quando o 11 de Novembro é do Estado e deve servir para as selecções, mais do que qualquer outras actividades. A FAF deve ter prioridade naquele recinto. Isso é uma situação que o Ministério dos Desportos deve tratar de esclarecer. Baixar em voz aguda para os gestores do Estádio uma ordem, e tudo ficar claro. O mesmo deve proceder o Governo da Província de Luanda em relação aos Coqueiros. A par disso, os orçamentos da FAF devem ser disponibilizados sem o vaivém que desmotiva qualquer abnegado. Os patrocinadores, em particular as empresas públicas, deviam ser mobilizadas para à devida atenção aos Palancas Negras. Sabemos das dificuldades do País no que aos dinheiros diz respeito, mas precisamos igualmente de sorrir, pular além da comida, saúde, educação e a Segurança. É como dizem os cristãos \"nem só do pão vive o homem. O futebol pode ser melhor e maior embaixador do que qualquer missão diplomática. A nossa memória no traz a qualificação para o Mundial como a maior propaganda que o País alguma vez beneficiou. É uma vergonha ver países minúsculos economicamente com melhor imagem do que nós. Não faz sentido a equipa nacional não poder jogar os particulares por falta de dinheiro. Compromete a imagem do país ver partir treinadores porque a FAF não consegue honrar com os seus compromissos.

Últimas Opinies

  • 09 de Dezembro, 2019

    Ruben chegou, viu e permaneceu

    O técnico argentino Rúben Garcia é o técncio estrangeiro que mais tempo esteve no  Girabola.. Desembarcou em 1982 para estar ao serviço do  1º de Maio de Benguela, para, depois,  orientar a  Académica do Lobito, FC.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Do amor ideologia, devoo ao dinheiro

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Prova influenciou a media desportiva

    O “Girabola”, pode-se agora afirmar, influenciou sobremaneira a formação da Redacção Desportiva da RNA. Aquele mencionado quinteto de radialistas havia-se tornado insuficiente para a demanda, sobretudo a partida dos dois últimos.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Notas da Histria do nosso futebol

    A história oficial do futebol angolano teria de  começar pelas décadas de 1920-30-40, porém, vamos aqui cingir-nos ao tempo de Angola já independente. E não se iria festejar a independência sem se jogar à bola; seria incaracterístico de um povo amante do futebol.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Arbitragem de poca em poca

    A história do Campeonato Angolano de Futebol, Girabola, como também é conhecido, é repleta de factos curiosos em termos de arbitragem. O campeonato é considerado por muitos especialistas do futebol, como um dos mais disputado do nosso Continente, o que é diferente de ser o melhor.

    Ler mais »

Ver todas »