Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Temos campeo

03 de Outubro, 2013
Enganado está quem pensa que o clube do bairro Palanca não será campeão nacional desta edição do Girabola. Muito se tem falado que só é campeã a equipa que, na sua estrutura organizativa, possuir um campo próprio, uma sede de dimensão gigantesca, mas Bento Kangamba mostrou e disse: “Não senhores, aqui em Angola a realidade é diferente.”

A equipa do bairro Palanca, diga-se em abono da verdade, tem sido a mais regular da competição, aquela que tem sabido, com zelo, fazer do jogo não uma festa do futebol, mas também uma verdadeira união de facto entre o “desporto rei” e os muitos adeptos que se deslocam aos estádios onde a equipa joga. Não só de resultados vive esta “senhora” equipa, porque ela também está a fazer por merecer com alguma sorte a mistura em alguns jogos. Mas, como a sorte bafeja sempre os campeões, então é caso para dizer que estamos perante um verdadeiro campeão.

Podemos dizer aqui que a história repete-se, ou se quiserem, estamos perante o mesmo cenário que teve lugar no Libolo, em que tudo funcionava, quer dentro como fora do campo. Com este Kabuscorp acontece justamente o mesmo. Uma equipa organizada com todos os seus processos a funcionar com muito dinamismo e consistência. Uma equipa em que o seu patrono tratou de construir meticulosamente sem mexer muito na sua estrutura básica, indo buscar selectivamente alguns reforços que, de facto, são mesmo uma mais-valia, como é o caso de Meyong, Love e Silva.

E mais do que aquisição dos jogadores já mencionados, há a destacar o grande trabalho que o técnico Edouard Antranik está a efectuar, introduzindo nos jogadores o ADN do futebol do Leste, que está mais virado ao ataque combinado, sem, como é evidente, descurar a defesa.

Por isso, é equipa mais concretizadora do campeonato com 38 golos marcados. Aqui, devo realçar o grande contributo dado pelo experiente ponta-de-lança Meyong. A equipa do bairro Palanca tem ao mesmo tempo a defesa menos batida do campeonato, com apenas 10 golos sofridos, demonstrando assim a tenacidade do seu quarteto defensivo, bem liderado pelo grande Silva.

Sendo assim e por tudo isso, só temos a engradecer o grande trabalho que a direcção do clube palanquino, bem liderado pelo empresário Bento Kangamba e a sua equipa técnica e jogadores estão a desenvolver com grande espírito de organização, disciplina, humildade, coesão e brilhantismo, para que esta competição seja cada vez imprevisível e, acima de tudo, competitiva. Em função da grande temporada que o Kabuscorp está a fazer e da forma como os jogadores se têm batido dentro das quatros linhas, como vimos em Calulo, não tenho dúvidas em afirmar que já temos campeão: o Kabuscorp do Palanca.
Manuel Caculo

Últimas Opinies

  • 21 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Procuramos fazer tudo para vencer o jogo, mas não conseguimos, porque o adversário  (Recreativo do Libolo) foi competente e inteligente, assim como conseguiu aproveitar as nossas falhas defensivas e, em lances de bolas paradas, marcaram os dois golos.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Zebras para domar...

    A Selecção Nacional de futebol de honras, às ordens do sérvio Srdjan Vasiljevic, decide amanhã, em Franciston, Botswana, a qualificação para o Campeonato Africano das Nações (CAN), que o Egipto acolhe de 19 de Junho a 21 de Julho deste ano.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    Se ontem o Petro caiu agora...viva a seleco !

    O reflexo do que é ( e ainda poderá ser por largos anos ) o insucesso do nosso futebol a alto nível dos clubes africanos foi mais uma vez demonstrado ontem no Quénia, onde o Petro de Luanda mesmo a jogar em vantagem numérica pouco fez para continuar a Taça CAF. 

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Temos de nos preparar bem para o jogo que será decisivo e estou convicto que iremos fazer este trabalho em conjunto, não temos muito tempo, agurada-nos um trabalho sério contra uma selecção que perdeu todas as partidas.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    L se foi o sonho...

    O Petro de Luanda, até ontem o único sobrevivente angolano nas Afrotaças, não conseguiu evitar a derrota frente ao Gor Mahia FC do Quénia, em Nairobi, num jogo em que estava “condenado” a não desperdiçar, na totalidade, os pontos em discussão.

    Ler mais »

Ver todas »