Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Tempo a Beto Bianchi

27 de Março, 2017
Os Palancas Negras têm amanhã, na África do Sul, o seu segundo jogo da \"era Beto Bianchi\". A estreia do hispano-brasileiro à frente do combinado nacional não foi a melhor, mas é preciso que os adeptos do futebol nacional não percam de vista que o novo seleccionador vai precisar de tempo para dar um novo rosto à Selecção Nacional.

A derrota de 2-0 diante de Moçambique não pode ser vista como um mau presságio para o futuro que ser quer para os Palancas Negras. Aliás, mesmo que estes vencessem os Mambas ainda assim não era a altura ideal para se tirarem as primeiras ilações. Beto Bianchi e seus pupilos vão precisar de tempo para projectarem a mudança que se almeja.

É verdade que depois da ausência consecutiva em dois CAN, 2015 e 2017, e o afastamento para os grupos que disputam as eliminatória de acesso ao Campeonato do Mundo da Rússia, no próximo ano, os adeptos querem ver o mais rapidamente possível a Selecção Nacional sair desta fase negra em que se encontra. Ainda assim, é preciso admitir que os resultados do trabalho iniciado agora pelo também treinador do Petro de Luanda não podem começar a ser já cobrados.

Como se disse, é muito cedo para se fazer qualquer juízo de valor sobre o comportamento dos Palancas Negras diante dos Mambas, no sábado. Com apenas dois ou três treinos era muito difícil chegar a um grupo homogéneo e competitivo para defrontar um adversário cujos integrantes já trabalham juntos há bastante tempo.
Os Palancas Negras defrontam amanhã os Bafana Bafana e terão a oportunidade de corrigir os principais erros cometidos na partida frente aos Mambas. Afinal, como se diz na gíria desportiva, não existem dois jogos iguais. Depois daquele desaire, pensamos que o grupo vai querer se redimir, procurando evitar uma nova derrota, até para não os efectar emocionalmente, já que apesar de se tratar de amistosos as vitórias também são muito importantes para a motivação do grupo.

Sabe-se que um dos objectivos principais dos Palancas Negras é a qualificação para os próximos dois compromissos que se avizinham, o CHAN-2018 e o CAN-2019. Ou seja, Beto Bianchi e sua equipa técnica tem tempo pela frente para dar forma à Selecção e colocá-la a jogar do seu jeito.

São estes de jogos de preparação que permitem à equipa técnica avaliar objectivamente como os jogadores estão a receber a filosofia de trabalho do novo seleccionador. Como se sabe, uma selecção não trabalha todos os dias como uma equipa, pelo que os processos demoram mais tempo a serem absorvidos.

É importante que Angola continue a dispor de oportunidade de fazer jogos antes do início dos compromissos oficiais. Estes dois jogos já foram importantes, mas é bom que a direcção da federação procure fazer outros contactos que permitam à Selecção Nacional poder continuar a ter a oportunidade de rodar os jogadores e possibilitar aos treinadores interagirem mais com estes.

Portanto, por agora, é importante que tenhamos todos paciência, deixemos a equipa técnica, em particular o novo seleccionador trabalhar, e esperar que o tempo ajude a moldar a nova versão dos Palancas Negras.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »