Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Tudo (j) devia ter comeado por ali!

04 de Dezembro, 2017
Em tempos de crise financeira, como se deve gerir um clube? Com o dinheiro a escassear e com ajustes a serem feitos de forma natural, numa realidade desportiva que estava \"inflamadamente\" inflacionada, como podem os clubes promover a sua imagem, para atrair patrocinadores e estabelecer parcerias?
Sendo que o desporto angolano ainda apresenta um sistema atípico em que o profissionalismo se encontra ferido devido a algumas inobservâncias e incongruências em matéria de gestão e dirigismo, como as ferramentas marketing e gestão, podem apetrechar o sistema desportivo nacional com quadros e técnicos competentes, qualificados e profissionais?
Com a quebra acentuada dos investimentos no mercado publicitário, como e de que maneira as empresas públicas e privadas podem aproveitar e usar o desporto, para comunicar de forma mais directa, com os consumidores?
Estas e outras tantas perguntas, podiam e devem ser respondidas à margem do IIIº Fórum Marketing Desportivo. Podiam e devem? Por que razão?Pelo facto de este ano não se realizar o anunciado e programa do inédito IIIº Fórum Marketing Desportivo, depois de no ano passado ter-se realizado de forma inédita e \"desenrascada\" quer o Iº, quer o IIº Fórum Marketing Desportivo, por sinal, e que fique bem sublinhado, mais a pedido das empresas do que dos clubes e das federações!
Abaixo, apresento algumas das linhas do comunicado oficial emitido pela organização do IIIº Fórum Marketing Desportivo, onde são espelhadas as reais razões e motivações que estiveram por detrás da não realização do referido evento.
O Comité de organização do IIIº fórum Marketing Desportivo para todos e devidos efeitos, vem esclarecer que o adiamento da realização de um evento desse porte e importância, deve-se principalmente, ao facto de, que de forma ousada, arrojada, e permitam a expressão, \"atrevida\", após intensos contactos feitos, ter-se assumido a garantia da participação de instituições da dimensão da Fundação Futebol Clube Barcelona, bem como da Fundação do Liverpool Futebol Clube e outros poucos especialistas de peso e nível executivo, que se predispuseram e se prontificaram desde a primeira hora em apresentar em vários formatos, o seu know-how sobre a temática que se devia debater durante o evento, não tendo a organização do referido evento encontrado o tão necessário e desejável apoio institucional, o que, de certa forma, condicionou, até mesmo beliscou e comprometeu o bom nome dos membros do Comité do evento e a integridade do projecto, que já é considerada uma marca.
Seguindo com o assunto em questão neste artigo, o Fórum Marketing Desportivo foi idealizado e concebido como Plataforma para trazer soluções aos departamentos de marketing, quer seja de clubes e federações, visto que muitos destes ainda não estão dotados de ferramentas e recursos que não sejam necessariamente financeiros, para implementar estratégias e iniciativas de comunicação acertadas e que auxiliem numa melhor activação das marcas desportivas e na sua subsequente gestão.
A título de exemplo, as pessoas nem sequer têm noção, para não dizer ideia, da enorme importância do marketing desportivo. Porque ainda não perceberam, que é através desta ferramenta, que as marcas comunicam com o consumidor.
São os consumidores que representam a marca, são eles que a defendem com unhas e dentes, mas para isso é preciso saber ouvi-los e dar-lhes importância.
Os adeptos querem estar envolvidos com a vida do clube. Errado é pensar que basta pedir para que eles venham aos estádios durante 90 minutos, desaparecerem durante uma semana para voltar no próximo fim-de-semana ou no próximo jogo. É necessário procurar incluí-los diariamente. E muito disto não se vê ainda em Angola.
Um outro exemplo. O sector empresarial privado, quer seja nacional quer estrangeiro não vêem os clubes como plataforma de negócios, sobretudo de comunicação, porque os clubes não conseguem aproveitar os novos formatos de consumo que vão surgindo no mercado nacional, que propicia uma exposição mediática de produtos e serviços.
Por outro lado é unanimidade dentro do sector empresarial privado que o marketing desportivo em Angola é mal executado, pois, limita-se simplesmente em inserir os nomes das marcas na parte frontal das camisolas, sem levar em conta que as empresas querem mais do que isso, querem falar com os adeptos e transformar a bi-relação sócio adepto, para uma tríplice relação sócio adepto e cliente.
Como tem defendido um restrito circulo de profissionais da área o Marketing Desportivo em Angola, feito profissionalmente, já há muito deveria auxiliar na centrifugação e na limpeza dentro da gestão desportiva nacional, tida e considerada, como a \"chaparia bala do carro da Ngaxi, cujo motor está a babar óleo\", como cantou anos atrás um conhecido artista do \"music hall\" nacional!
Nzongo Bernardo dos Santos *
*GESTOR EXECUTIVO DO FÓRUM MARKETING DESPORTIVO

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »