Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

preciso crena

10 de Junho, 2017
O arranque da caminhada acontece hoje, e os Palancas Negras jogam em terreno alheio debaixo da pressão do público local, que espera ver a sua selecção começar o apuramento vitorioso para completar um ciclo que teve etapas memoráveis como a final perdida em 2013 para a Nigéria, no CAN da África do Sul, e o terceiro lugar obtido na edição transacta em que foi afastada da final através da marcação de grandes penalidades, em consequência saiu da prova sem qualquer derrota.

Este cartão de visita do Burkina Faso, só por si, serve para espelhar o grau de dificuldades que os Palancas Negras podem encontrar esta tarde, em Ouagadougou. No último confronto entre os dois seleccionados, os burkinabes saíram bem na fotografia com um triunfo de 3-0, em pleno Estádio 11 de
Novembro, facto que criou frustrações entre os adeptos angolanos, que levou mesmo a um certo distanciamento do público em relação à sua selecção.

Mas isso, é um episódio que já faz parte do passado. Até mesmo as melhores selecções do mundo têm momentos maus, e um passado que até pode ser belo na sua generalidade, e os Palancas Negras têm de viver com tal facto.

O que é preciso é direccionar os olhos para a frente, sempre com um discurso que não abra brechas à existência de dúvidas em relação a tudo o que se quer. Angola entrou na corrida para os Camarões\'2019, com o fito de lutar com os outros integrantes do grupo pelo apuramento, e é isso que vai começar a fazer em \"Ouaga\".

O Burkina Faso é o principal favorito da série em que Angola está inserida, porém, tem de confirmar o favoritismo em todos os jogos dentro das quatro linhas, e depois de soar o apito final do árbitro.

Os Palancas Negras sabem das suas fraquezas, também têm consciência dos pontos fortes que bem aproveitados e utilizados, podem fazer mossa aos \"cavalos\" locais.

Os Palancas Negras devem jogar com cautela, mas sem inibição. Os jogadores representam as cores de um país que acredita neles, não obstante, às várias contrariedades verificadas ao longo da sua programação.

A partir de hoje, os dados estão lançados para os Palancas Negras tentarem o regresso ao convívio das melhores selecções do continente. O Burkina Faso é o primeiro obstáculo, numa operação difícil, mas não impossível de ser vencida.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »