Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

busca do melhor

03 de Dezembro, 2013
Há uma enorme expectativa em torno do exercício dos clubes no potenciamento dos respectivos plantéis visando o próximo campeonato nacional de futebol da primeira divisão. Os amigos do futebol, aqueles que semanalmente acompanham com entusiasmo o desenrolar da prova, estão na ansiedade de ver que alterações ocorrem nas equipas, quer a nível de atletas quer a nível de treinadores.

É dado assente que as equipas aproveitam igualmente o defeso para retemperar energias, rever as suas debilidades e acertar onde seja preciso acertar, tudo isto na perspectiva de poderem encarar a próxima prova com maior entrosamento, maior realismo, maior ambição na corrida às metas que venham a estabelecer.Algumas formações, com maiores possibilidades, vão aproveitar o princípio do ano para fazer estágios fora ou dentro do país. Os clubes com limitações financeiras também não estão de braços cruzados. Tratarão de desenvolver, internamente, o seu trabalho, cientes das exigências da competição.

O Kabuscorp do Palanca é o campeão, e como tal tem responsabilidade acrescida, não sendo sem razão que o seu presidente se desdobra em todas as frentes à procura de jogadores que podem constituir uma mais-valia para o seu plantel. Fora disso tem também já esboçado o programa de preparação pré-época, que deve, tal como o ano passado, começar em Benguela e terminar em Portugal.

Aliás, a turma do Palanca precisa de mostrar que não foi campeã por mero acaso. Mas sim por consequência de um trabalho e aposta fortes. E isto passa por uma boa apresentação nas competições da próxima época, com realce para a Taça dos Clubes Campeões Africanos. Não é pouca a sua responsabilidade. É certo que vai enfrentar uma forte pressão das outras equipas, mas pensamos dispor de argumentos para contrapor a todas as adversidades.

Também é bom reconhecer que as paragens numa competição, quando longas, nem sempre são benéficas, sobretudo quando se aproveita a pausa para dar férias aos atletas, situação que pode ter acontecido com algumas equipas. Quem está nesta condição arrisca-se a resultados não muito satisfatórios, pelo menos nas primeiras jornadas da prova.

Porém, sabemos que isto não ocorre com as equipas mais bem organizadas e estruturadas, aquelas que perseguem objectivos claros na prova, que vêem no título o objectivo único. Para já tudo aponta para que em 2014 tenhamos um campeonato interessante. Pois tem vindo a crescer o número de campeões nas últimas edições. De certeza que há outras equipas que também anseiam entrar na lista de campeões, ao mesmo tempo que encontramos um Petro e um 1.º de Agosto desejosos de romper o jejum.

Vamos aguardar ansiosos pelo sorteio da prova, dentro de dias, e ver como se arranjam as equipas participantes em termos de planificação da época. De momento é enorme a azáfama a que assistimos. Todos querem fortificar os plantéis, procurando os melhores atletas e os melhores técnicos em diferentes mercados.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »