Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A crena de Filemon

02 de Novembro, 2014
Com uma vitória sobre o Lesoto, a Selecção Nacional conseguiu abandonar a cauda e relançar a esperança, em relação à qualificação ao CAN-2015.

Na sexta-feira, ao anunciar os jogadores convocados para os dois jogos decisivos que Angola tem pela frente, com o Gabão a 15 do corrente e com o Burkina Faso a 19, o Seleccionador Nacional Romeu Filemon mostrou que mantém a crença no apuramento dos Palancas, não obstante, estes estarem na total dependência de resultados alheios.

Filemon reconheceu que a situação actual na tabela classificativa é “muito difícil,” mesmo que ganhe os dois jogos que faltam, ainda assim, o técnico não atira a toalha ao tapete, pede aos compatriotas que tenham “a coragem de um leão e a paciência de uma jibóia,” para chegar ao CAN-2015.

Embora o quadro seja mesmo de dificuldades, pensamos que é de aplaudir a atitude de Romeu Filemon. Enquanto houver possibilidades de lá chegarmos, é importante que não atiremos antecipadamente a toalha ao tapete. Sem qualquer espírito masoquista ou qualquer pretensão de criar falsas expectativas, devemos ser nós os primeiros a demonstrar, que estamos com a nossa Selecção e acreditar, que ela é capaz de ainda trazer muitas alegrias.

O começo agoirento da campanha, com duas derrotas frente ao Gabão por 1-0 e Burkina Faso por 3-0, e um empate com o Lesoto por 0-0, as contas ficaram muito complicadas para Angola. Estes resultados criaram à partida um cenário pouco fiável, de o país voltar a marcar presença na fase final de um CAN, competição que nas últimas cinco edições sempre esteve presente (2006, 2008, 2010, 2012 e 2013).

As contas não estão fáceis e mostram, que os Palancas para voltarem a fazer parte da nata das melhores selecções do continente africano em 2015, precisam imprescindivelmente de vencer os dois jogos e torcerem, para que os dois adversários da frente tenham percalços, na sua caminhada derradeira.

Na próxima quarta-feira, Romeu Filemon dá início aos trabalhos, à procura das melhores estratégias quer para o jogo com o Gabão, primeiro, quer para com o Burkina Faso, depois. Trata-se de partidas de capital importância, é preciso que esta preparação seja incisiva na abordagem de todos os aspectos técnicos e tácticos, de modo a termos um grupo coeso, mas muito competitivo.

Em caso de vitória no jogo com as Panteras (Gabão), os Palancas podem ficar mais próximos do objectivo.

A prever-se um resultado favorável para os Etalons (Burkina Faso) frente aos Crocodilos (Lesoto), a classificação à entrada da última jornada ia levar o Burkina à liderança com dez pontos, seguido do Gabão com oito, Angola com sete e Lesoto com um. Neste cenário, a decisão ia ficar reservada apenas para a disputa da segunda vaga entre Angola e Gabão já que o Burkina Faso ia ter garantida a qualificação.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »