Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A despedida do capito

12 de Abril, 2014
Aos 37 anos de idade e desempenhando a função de deputado da Assembleia Nacional, o ex- capitão dos campeões africanos de basquetebol veste pela última vez a camisola do 1º de Agosto na final da Taça de Angola, no confronto com o Petro de Luanda, o emblema que o projectou a nível interno.

Quis o destino que na hora do adeus o ex-internacional angolano defrontasse a equipa com a qual se firmou como atleta de referência nacional. O extremo-base pode, assim, fazer a sua despedida numa partida em que vai ter a oportunidade de estar rodeado de colegas e ex-colegas, estes últimos agora nas vestes adversários de ocasião. Não fosse um jogo de carácter competitivo, talvez Carlos Almeida não se inibisse de jogar pelos dois conjuntos, por sinal os mais titulados do nosso campeonato.

Por tudo quanto fez pelo equipa militar, a qual ajudou a conquistar vários títulos, o clube prepara-lhe uma despedida à altura do contributo dado durante os anos que vestiu as cores rubro-negras. O número 13 dos campeões tem a oportunidade de ver reconhecido todo o esforço feito com profissionalismo ao serviço da formação de basquetebol do Clube Central das Forças Armadas Angolanas.

Na voz do vice-presidente para a modalidade, José Moniz, o 1º de Agosto já confirmou a realização de uma "despedida condigna para Carlos Almeida pelos vários anos que representou com brio profissional" as cores do clube. Outra coisa não se podia esperar depois da trajectória do atleta logo após a sua chegada ao Rio Seco.

Talvez fosse oportuno a direcção da Federação Angolana de Basquetebol juntar-se à direcção do 1º de Agosto para em conjunto prestar também a devida e merecida homenagem, já que ao "pendurar" a camisola e as botas em definitivo, Carlos Almeida está indirectamente a fazer a sua despedida da Selecção Nacional, a qual ajudou a erguer sete dos 11 títulos africanos que colecciona.

O extremo-base de 1,93 metros de altura, antes de se transferir para o 1º de Agosto actuou pelo Petro de Luanda, que ajudou igualmente a conquistar alguns títulos, e foi ao serviço dos tricolores que se notabilizou como um dos melhores atletas na sua posição. Aquando da estreia na Selecção Nacional, em 1999, aos 23 anos, Carlos Almeida soube beber muito bem da experiência da nata do basquetebol nacional da altura, por intermédio de atletas como Jean Jacques, Anibal Moreira, Ângelo Victoriano, Herlander Coimbra, Victor Carvalho entre outros.

As qualidades demonstradas tanto a nível desportivo como no relacionamento humano valeram-lhe o posto de "capitão" durante os últimos anos que vestiu as cores nacionais e do 1º de Agosto. Na hora do adeus, aplausos para Carlos Almeida.

Últimas Opinies

  • 17 de Agosto, 2019

    Girabola Zap periclitante

    A festa do futebol está de regresso. Com o retorno do Campeonato Nacional da I Divisão, vulgo Girabola Zap 2019/2020, a alegria do povo volta à ribalta e com ela a euforia, a competitividade.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    De volta a febre pelo futebol!...

    Para a alegria dos seus aficionados, está de regresso a maior festa futebol nacional, o Girabola Zap. Uma prova que inflama paixões e leva alegria para os vários estádios espalhados pelo país.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estamos mais preocupados com a integração dos novos atletas  e perceber qual o momento desportivo e a partir daqui,  entrar numa outra fase de desenvolvimento e novamente.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    Baptismo do Wiliete

    Depois da abertura ontem da 42ª edição do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, vulgo Girabola Zap, com o jogo Clube Desportivo da Huíla (CDH) - FC Bravos do Maquis.

    Ler mais »

  • 15 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Se até agora estivéssemos com as estratégias todas consolidadas, com os atletas em boa forma física e excelente dinâmica, podia também nalguns casos.

    Ler mais »

Ver todas »