Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

espera da deciso

04 de Setembro, 2013
Gustavo Ferrín pode ter os dias contados à frente do comando técnico da Selecção Nacional de futebol de honras. O seleccionador nacional, apesar de ter um contrato válido de dois anos com a FAF, um dos quais já vencido, corre o risco de ver o vínculo abortado em função da má campanha dos Palancas Negras no ano em curso.Depois de um pobre desempenho na fase final do CAN da África do Sul, que se disputou entre Janeiro e Fevereiro do ano em curso, tendo a selecção ficado na primeira fase, com duas derrotas e um empate, seguiu-se a não menos conseguida campanha da zona africana das eliminatórias ao Campeonato do Mundo do Brasil, onde o país também não conseguiu passar à fase seguinte. Para pior tudo, os Palancas Negras soçobraram na última eliminatória de acesso ao CHAN, num jogo decidido em casa.

Em face das três derrocadas, o presidente da FAF, Pedro Neto, não conseguiu disfarçar a sua insatisfação e disse alto e em bom som, após o jogo com Moçambique, que a sua direcção vai operar mudanças na equipa técnica nacional. Sem precisar datas, o presidente da FAF deixou escapar que o uruguaio tem os dias contados como técnico da Selecção Nacional.Pedro Neto disse à comunicação social que a decisão que está a ser ponderada tem a ver com o insucesso que o técnico teve nas três frentes, numa altura em que a sua direcção tinha criado as mínimas condições para a realização de um trabalho que produzisse alguns resultados.

Apesar de ter um vínculo de dois anos com a FAF, Gustavo Ferrín devia, em virtude do desagrado demonstrado publicamente por Pedro Neto, ter a coragem de assumir o fracasso do seu “consulado” e apresentar um pedido de demissão, em vez de esperar que a federação tome a iniciativa para beneficiar de uma eventual indemnização.Treinadores coerentes têm esta postura de verticalidade. Quando reconhecem que não estão a render à frente de um projecto, preferem colocar o lugar à disposição a ter que continuar a ganhar dinheiro sem a devida contrapartida. Costuma-se dizer que os treinadores vivem de resultados e Gustavo Ferrín não pode ser uma excepção.Foram-lhe dadas todas as oportunidades para continuar com o projecto de renovação dos Palancas Negras, mas desde que assumiu o comando da equipa não se viu ainda qualquer resultado digno de elogio. O que se viu até agora foram apenas desilusões. É justo que a FAF tome uma decisão.

Últimas Opinies

  • 24 de Agosto, 2019

    O amiguismo na resciso

    O assunto de momento no nosso futebol, convenhamos, é sem dúvidas o desenlace entre a Federação Angolana de Futebol (FAF) e o técnico Srdjan Vasiljevic, em face de algumas situações que vinham acontecendo e que originou que se estalasse o verniz.

    Ler mais »

  • 24 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os jogadores aguardaram isso dos dirigentes, para que a motivação crescesse

    Ler mais »

  • 24 de Agosto, 2019

    O sonho dos grupos

    Após as vitórias extramuros nas deslocações à Tanzânia e ao Lesotho, o 1º de Agosto e Petro têm, neste fim-de-semana, a oportunidade soberana de confirmarem a qualificação para última eliminatória de acesso a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Viemos a público para responder ou esclarecer o que aconteceu.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

Ver todas »