Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A luta promete

28 de Março, 2019
Há indicadores seguros de a segunda volta do Girabola vir conhecer uma acirrada disputa pelo título. Fala-se à boca pequena que a dispensa, pela direcção petrolífera, do hispano-brasileiro, Beto Bianchi, não visa outro fim, senão o de a equipa imprimir outra dinâmica no seu desempenho em campo e lutar pelos resultados, que lhe permitam atingir os objectivos definidos.
Nas hostes petrolíferas comenta-se que Beto Bianchi chegou a perder o controlo do balneário, resultando tal situação num fraco desempenho da equipa em campo. Tendo ainda várias possibilidades de terminar a prova em primeiro lugar, havia toda a necessidade de acautelar as coisas, sendo a questão de segurança, evocada pela direcção como razão da rescisão de contrato, um mero bluf.
Assim, dito por outras palavras, foi lançado o alerta ao 1º de Agosto, afinal a única equipa que faz sombra ao Petro nos últimos tempos, em face da crise em que mergulharam as outras, que até há bem pouco tempo também tiravam algum sono, disputando em igualdade de forças o titulo. Mas é bom que assim seja. Pois é a prova que sai a ganhar em termos de competitividade e de suspense e interesse.
Dir-se-ia que o momento é dos candidatos arregaçarem as mangas de camisa, para uma disputa palmo-a-palmo. Nesta disputa podem intervir outras equipas, embora o foco venha estar entre militares e petrolíferos. O Kabuscorp do Palanca não deve ser definitivamente colocado à parte. Aliás, o seu presidente não se cansa de tomar a sua equipa como candidata ao título. E não sendo Bento Kangamba um desequilibrado mental, convém se dar algum crédito nas suas palavras.
Os gigantes do “Rio Seco” e do”Eixo-Viário” têm objectivos claros. Os primeiros procuram manter o ciclo vitorioso. Ou seja, revalidar o título, ao passo que os petrolíferos tentam evitar o vexame de completar dez anos sem sentir o sabor agradável do título. A coisa promete pegar fogo, queiramos.
Enfim, espera-se por tudo mais alguma coisa neste segundo turno do campeonato. O facto de o segundo lugar dar igualmente acesso às Afrotaças, é outro elemento que confere à prova maior interesse. Ai estamos a ver equipas com Kabuscorp e Desportivo da Huila a revelarem-se determinadas na luta pelos seus objectivos.
Esta é também uma particularidade, que acabará por exercer alguma pressão sobre os candidatos ao título. Pois, para lá da sua ambição pelo primeiro lugar terão outros concorrentes a morder-lhes os calcanhares. Enfim, diga-se que o campeonato ficou mais valorizado com este item de qualificar também o segundo lugar, para as competições africanas de clubes. A coisa promete...

Últimas Opinies

  • 11 de Novembro, 2019

    O sabor da Dipanda

    O 11 de Novembro é uma data que representa um verdadeiro símbolo da identidade dos angolanos e do país, em si, desde que se libertou das amarras do regime colonial. Portanto, há 44 anos, num dia como hoje, o saudoso Presidente Doutor António Agostinho Neto proclamou perante a África e ao Mundo a Independência Nacional.

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Acho que a condecoração vem em boa hora. Devia haver melhor critério, mas não deixo de louvar a atitude do Presidente da República. (...)

    Ler mais »

  • 11 de Novembro, 2019

    Denncias, SIC e PGR

    Certa vez, sem receio de punição, a demonstrar que tinha algum trunfo na manga para provar, o então presidente de direcção do Recreativo do Libolo, Rui Campos, chegou a acusar que os árbitros indicados pelo Conselho Central de Árbitros da Federação Angolana de Futebol manipulavam os jogos e resultados da equipa de Calulu, no sentido de, na altura, impedir a revalidação do título.

    Ler mais »

  • 09 de Novembro, 2019

    Festa da Dipanda e os feitos desportivos

    Angola assinala dentro de sensivelmente dois dias 44 anos desde que se libertou das amarras do regime colonial.

    Ler mais »

  • 09 de Novembro, 2019

    Desporto de unio nos 44 anos da Nao

    Hoje, como não podia deixar de ser, neste espaço escrito “A duas mãos”, acordamos em falarmos da trajectória do nosso desporto, ao longo dos 44 anos de Independência que o País tem.

    Ler mais »

Ver todas »