Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

A vez dos mais novos

04 de Maio, 2017
Começa a ganhar corpo, a ideia do novo elenco da Federação Angolana de Futebol, de dar mais atenção aos escalões de formação, para assegurar de forma sustentada o futuro da selecção principal.

A formação está na ordem do dia em algumas instituições, tais como, a Academia de Futebol de Angola (AFA), que com especialistas têm contribuído para a descoberta de talentos, com um projecto em que o objectivo não é só descobrir o melhor futebol que os jovens jogadores têm dentro de si, mas dotá-los de ferramentas para que sejam formados como homens na sociedade.

O mesmo objectivo, o 1º de Agosto persegue com a criação da sua academia de futebol, e a Escola Noberto Castro propõe-se alcançar com a nova parceria com o Sporting Clube de Portugal, que trouxe a Luanda o presidente do clube para a formalização do contrato.Contudo, ao longo dos último anos, a Federação Angolana de Futebol parece ter passado ao lado de tudo isso. Angola esteve ausente dos grandes palcos africanos, concretamente as fases finais dos CAN\'s de sub-17 e sub-20, sem tirar partido do potencial da geração que na Etiópia conquistou o primeiro título africano de sub-20, e que desfilou pela primeira vez num Mundial.

O cenário, hoje, dá mostras de ser diferente. O regresso ao Torneio de Toulon, de 29 de Maio a 1 de Junho, em França, um torneio em que os angolanos não marcam presença há 10 anos, bem como o desfile da Selecção Nacional de sub-17 na fase final do CAN que tem como sede o Gabão, marca de forma positiva a gestão do futebol nacional pelo novo elenco federativo.O torneio francês é dos mais conceituados a nível dos sub-20 no mundo, e nele já passaram jogadores que acabaram por dar cartas, quer nos seus clubes como nas respectivas selecções nacionais.Ao longo dos anos, esta competição para jovens jogadores em ascensão, confirmou a tendência para revelar grandes talentos. Em 1978, Passarella, Tarantini, Gallego e Valência tornaram-se nos primeiros jogadores campeões do Mundo, que passaram por Toulon.

Futebolistas emblemáticos, como: Jean-Pierre Papin (França), Hristo Stoichkov (Bulgária) e Zinedine Zidane (França) ganharam a \"Bola de Ouro\" – distinção que elege o melhor futebolista a actuar na Europa – também estiveram em Toulon. Cristiano Ronaldo que é considerado o melhor jogador do Mundo na actualidade, distinções da revista France Football e da FIFA, também já esteve em Toulon.

É certo, que Angola não vai a França para vencer o torneio, pode, porém, tirar benefícios da sua presença em terras francesas, dado que a participação constitui um importante benefício de rodagem e experiência competitiva para os nossos jogadores, sendo também uma montra do futebol internacional, dever servir de projecção da imagem do país e permitir a obtenção de resultados que influenciem a classificação no ranking internacional.

No Gabão, o conjunto angolano de sub-17 tenta chegar até onde lhe for permitido, porque neste seu regresso o mais importante é estar presente, abrir caminho para participações com outros objectivos no futuro.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »