Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Acesso aos quartos

27 de Agosto, 2018
O campeão em título angolano, o 1º de Agosto, decide amanhã a sua continuidade nas Afrotaças, quando defrontar no Estádio Nacional 11 de Novembro, o Mbabane Mbabane Swallows da eSwatini. A equipa do \"rio seco\" começa, frente a formação da antiga Swazilândia, um ciclo de seis dias que o poderá, também, conduzir à revalidação do título da maior prova do futebol angolano, o Girabola Zap.
Após falhar a conquista antecipada do 12º título na alta-roda do futebol nacional e o 2º tri-campeonato do seu historial, fruto do empate (2-2) obtido com muito suor quinta-feira no Dundo, Lunda Norte, frente ao Sagrada Esperança, o d\'Agosto centra agora as atenções na Liga do Clubes Campeões Africanos. E o Mbabane constitui o último obstáculo a transpor para que os militares logrem a qualificação aos quartos de final.
Nesse momento com 6 pontos, na 2ª posição do Grupo D da “Champions League”, a maior prova de clubes da Confederação Africana de Futebol (CAF), o conjunto orientado pelo sérvio Zoran Maki precisa apenas de uma vitória frente ao adversário de amanhã, para, em definitivo assegurar a qualificação à próxima fase.
Caso esse desiderato se confirme, quer o Mbabane, no último posto com 4 pontos, quer o Zesco United da Zâmbia, com 5 no 3º, ficariam arredados de poder inscrever o seu nome nos quartos de final desta 22ª edição da Liga dos Clubes Campeões.
E isto porque neste momento com os já citados 4 pontos, a equipa da ex-Swazilândia manter-se-ia na cauda, enquanto os zambianos ainda que triunfassem frente ao Étoile du Sahel da Tunísia, chegariam, apenas, aos 9 contra os eventuais 10 que o d\'Agosto somaria, caso passe in
cólume sobre o Mbabane no 11 de Novembro. A equipa do Magreb, por seu turno, com os actuais 11 pontos, tem asseguradíssima a sua qualificação aos quartos de final da maior prova de clubes do continente.
Porém, é preciso recordar que até um eventual empate amanhã, na derradeira ronda do Grupo , pode também qualificar o 1º de Agosto para a próxima fase, mas isto desde que no outro jogo o Zesco perca ou empate com o Étoile. Como se pode observar aqui, nas várias conjecturas que se fazem em relação aos desfecho desta série, os militares só depende de si para chegarem aos “quartos”.
Agora um outro resultado que não a vitória ou o empate comprometeria de todo as aspirações do ainda campeão em título. Aliás, seria uma \"verdadeira hecatombe\" para equipa militar, que nesse caso viria o Zesco a cortar a meta na 2ª posição do grupo, com uma eventual vitória sobre o Étoile du Sahel, ou até mesmo o Mbabane, caso some três pontos no duelo de amanhã, no 11 de Novembro.
Noves fora os factores que possam beliscar a imagem do 1º de Agosto nessa corrida ao quartos de final, recomenda-se uma atitude ousada aos comandados de Zoran Maki, que obviamente farão das “tripas-coração” ou dito de outra forma um esforço suplementar para levarem amanhã a água ao seu moinho. E isso, pode-se confirmar em definitivo com um triunfo, para não dependerem de terceiros.
Para já, a eventual qualificação para os quartos de final da Liga dos Campeões poderá ter um sabor especial para o conjunto do “rio-seco”, que, como já se disse, neste ciclo de seis dias espreita também o tão cobiçado troféu Campeonato Nacional da I Divisão, numa disputa que tem como forte concorrente o arqui-rival Petro de Luanda...

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »