Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Africano de hquei

13 de Outubro, 2018
Às portas do campeonato africano de hóquei em patins de Maputo, Moçambique, que constitui a única janela de qualificação ao mundial do próximo ano em Barcelona, Espanha, por cá o seleccionador nacional já divulgou a convocatória dos jogadores que farão parte da preparação para esta, empreitada. Além do país anfitrião, Moçambique, Angola, África do Sul e Egipto são as outras selecções que dão corpo ao “africano”.
Salta à vista, na convocatória de Fernando Fallé tornada pública na quarta-feira, as ausências de Argentino Agostinho, avançado da Académica de Luanda, que foi uma das surpresas do campeonato do mundo de Nanjing, China, em 2017, de João Vieira “Johe”, que a par do primeiro apontou 14 golos na referida prova. Argentino Agostinho falha a convocatória para o “africano” a decorrer de 9 a 11 de Novembro próximo na capital moçambicana, talvez por não ter sido opção do técnico do clube academista de Luanda.
“Johe”, por seu turno também ficou de fora das opções de Fernando Fallé, que entre os 21 convocados, chamou Márcio Fernandes e Walter Bernardo, igualmente da Académica de Luanda e que brilharam na vitória da equipa na Taça de Angola.
Na lista de convocados saltam ainda à vista, atletas como Adilson Diogo “Pi” e Estevão Dala (Académica de Luanda), Francisco Veludo (do Hóquei Vercelli da Itália), André Centeno (Hóquei Valdano do mesmo país), João Pinto (Sporting de Portugal), Payero (Liceo de la Corunha), Humberto Mendes “Big” (Noia), estes dois últimos de Espanha.
E é importante lembrar aqui que a equipa anfitriã da próxima edição do campeonato africano de hóquei patins, tal como Angola, são assumidamente fortes candidatos a conquista do troféu desta grande montra da modalidade a nível continental.
É relevante ainda sublinhar o facto de que ao contrário das anteriores edições esta vai ser a primeira vez na história da modalidade que as selecções africanas vão ser sujeitas a eliminatórias para estarem presentes num mundial. O mesmo sistema será usado em todas outras zonas continentais (Europa, América e Ásia).
No programa de preparação do “cinco” nacional, antes de embarcar para a capital moçambicana, constam sessões de treinamento bi-diárias, sendo uma no Pavilhão Dream Space (Espaço de Sonho) no Kikuxi, em Viana, e outras no Anexo I do Complexo da Cidadela, no Distrito do Rangel.
A Selecção Nacional começa a preparar o “africano” de Maputo a 29 do corrente mês na capital do país e encerra a 6 de Novembro próximo.
O seleccionador Fernando Fallé vai aproveitar a pausa da primeira fase do campeonato nacional de hóquei em patins na classe de seniores, de 27 deste mês a 12 de Novembro, para preparar o “cinco” angolano da modalidade.
Tal como se referiu atrás esta prova é selectiva para o campeonato do mundo de 2019, que se disputa na cidade espanhola de Barcelona. No último mundial, disputado em Nanjing, Angola quedou-se na quinta posição.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »