Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Ainda sobre Bianchi

07 de Outubro, 2017
A absolvição do treinador do Petro de Luanda, Bento Bianchi, está a suscitar muitos debates nos corredores do futebol nacional. E, tem razão de ser, pois , o árbitro que ajuizou o clássico não expulsou o treinador por mero acaso.
Não acreditamos, que o tenha feito por bel prazer. E, reforça a nossa convicção, a medida disciplinar aplicada pelo Conselho de Disciplina, cuja fundamentos são alicerçados no relatório do árbitro. Entendimento diferente, porém, teve o Conselho Jurisdicional, órgão de recurso que \"absolveu o treinador\", ao mandá-lo ir em paz.
As reacções não podiam ser as melhores, quer da parte dos adversários directos, quer dos outros treinadores que não beneficiaram da mesma sorte. Seria bom, que a Federação Angolana de Futebol tornasse público os fundamentos encontrados pelo Conselho Jurisdicional, para \"ilibar\" Bento Bianchi.
Terá o Conselho de Disciplina violado um procedimento, que resultou na anulação da sua decisão? O treinador não violou nenhuma norma regulamentar, para merecer o castigo, ou houve excesso de zelo da parte do árbitro?
São rajadas de perguntas, que só podiam ser respondidas se os adeptos do futebol tivessem acesso aos fundamentos que estiveram na base da \"absolvição\" do treinador.
A publicidade dos fundamentos não respondiam só às questões levantadas, como atenuava a desconfiança de um \"paternalismo\" da FAF em relação ao treinador, também ele seleccionador nacional.
E, mais do que isso, é que todas as medidas podem vir a ser questionadas, se não beneficiarem da mesma apreciação do Conselho Jurisdicional, o que de certo modo é legitimo, embora absurdo, porque não existem medidas iguais, mesmo que as infracções sejam as mesmas.
A intensidade e a intencionalidade, assim como o cadastro, são sempre levados em conta. Por todas as razões faz sentido, que as decisões do Conselho Jurisdicional mesmo do Conselho de Disciplina fossem ser publicadas, em homenagem à transparência e salvaguarda da verdade desportiva.
De outro modo, abre-se aqui um precedente que pode ser complicado de gerir pela Federação Angolana de Futebol, quando o campeonato está numa ponta final que pode ser escaldante, e qualquer posição em relação aos dois concorrentes directos na luta pelo título, 1º de Agosto e Petro de Luanda, bem como às equipas envolvidas na luta pela permanência, vai ser vista sempre com desconfiança, a indiciar sempre um favorecimento em relação a alguém.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »