Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Ainda sobre Bianchi

07 de Outubro, 2017
A absolvição do treinador do Petro de Luanda, Bento Bianchi, está a suscitar muitos debates nos corredores do futebol nacional. E, tem razão de ser, pois , o árbitro que ajuizou o clássico não expulsou o treinador por mero acaso.
Não acreditamos, que o tenha feito por bel prazer. E, reforça a nossa convicção, a medida disciplinar aplicada pelo Conselho de Disciplina, cuja fundamentos são alicerçados no relatório do árbitro. Entendimento diferente, porém, teve o Conselho Jurisdicional, órgão de recurso que \"absolveu o treinador\", ao mandá-lo ir em paz.
As reacções não podiam ser as melhores, quer da parte dos adversários directos, quer dos outros treinadores que não beneficiaram da mesma sorte. Seria bom, que a Federação Angolana de Futebol tornasse público os fundamentos encontrados pelo Conselho Jurisdicional, para \"ilibar\" Bento Bianchi.
Terá o Conselho de Disciplina violado um procedimento, que resultou na anulação da sua decisão? O treinador não violou nenhuma norma regulamentar, para merecer o castigo, ou houve excesso de zelo da parte do árbitro?
São rajadas de perguntas, que só podiam ser respondidas se os adeptos do futebol tivessem acesso aos fundamentos que estiveram na base da \"absolvição\" do treinador.
A publicidade dos fundamentos não respondiam só às questões levantadas, como atenuava a desconfiança de um \"paternalismo\" da FAF em relação ao treinador, também ele seleccionador nacional.
E, mais do que isso, é que todas as medidas podem vir a ser questionadas, se não beneficiarem da mesma apreciação do Conselho Jurisdicional, o que de certo modo é legitimo, embora absurdo, porque não existem medidas iguais, mesmo que as infracções sejam as mesmas.
A intensidade e a intencionalidade, assim como o cadastro, são sempre levados em conta. Por todas as razões faz sentido, que as decisões do Conselho Jurisdicional mesmo do Conselho de Disciplina fossem ser publicadas, em homenagem à transparência e salvaguarda da verdade desportiva.
De outro modo, abre-se aqui um precedente que pode ser complicado de gerir pela Federação Angolana de Futebol, quando o campeonato está numa ponta final que pode ser escaldante, e qualquer posição em relação aos dois concorrentes directos na luta pelo título, 1º de Agosto e Petro de Luanda, bem como às equipas envolvidas na luta pela permanência, vai ser vista sempre com desconfiança, a indiciar sempre um favorecimento em relação a alguém.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »