Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Angolanos confiantes

06 de Janeiro, 2017
A Selecção Nacional sénior masculino de andebol está, por esta altura, em terras lusas, onde cumpre um curto estágio com vista à sua participação no Campeonato do Mundo que a França acolhe a partir do dia 8 deste mês.

O andebol masculino, ao nível internacional, não tem a mesma expressão que a classe feminina, e isso é um dado adquirido. A senhoras angolanas dão cartas em África, e o seu último título continental foi conquistado em Luanda, no Campeonato Africano que decorreu no pavilhão do Kilamba.

As proezas das nossas senhoras contrastam com os feitos dos nossos masculinos, que têm como grande feito, até ao momento, um terceiro lugar num campeonato em África, o que permitiu, desde já, a sua participação na maior monta do andebol mundial.

Contudo, tal não é factor impeditivo para que se possa sonhar com bons resultados no palco da França. É certo que um Campeonato do Mundo é uma competição exigente, em que a superação individual dos atletas está à prova em todos os dias da prova, mas também não se pode partir para a mesma com um espírito derrotista logo à partida.

O facto de Angola ter conseguido o terceiro lugar no último Campeonato Africano, ficando à frente de selecções fortes do continente como a Argélia e o Marrocos, dá toda legitimidade ao "sete" angolano para ser um digno representante de África na cimeira da França, onde todas as selecções apuradas vão tentar esgrimir os seus argumentos tendo como objectivo a melhor classificação para o seu país.

Dificuldades financeiras impediram que o conjunto nacional usufruísse de um estágio fora do país dentro daquilo que a equipa técnica da selecção tinha programado. Quatro ou cinto dias em terras lusas podem significar pouco em relação ao trabalho das outras selecções que estarão presentes no Mundial, mas o que anima o grupo é mesmo a vontade de fazer das adversidades um bom guia com vista à sua superação na competição.

É certo que nada será fácil, tendo o grupo em que Angola está inserido, com selecções de renome como a Espanha, Eslovénia e Islândia, além da Tunísia e Macedónia. POrém, de jogo a jogo o conjunto nacional pode ganhar argumentos para não se intimidar diante desses colossos do andebol mundial.

Os jogos com equipas portuguesas no estágio em Portugal vai servir para os nossos representantes ganharem confiança, independentemente dos seus resultados, porque uma prova mundial tem níveis de exigência muito altos.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »