Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Angolanos em Goa

14 de Janeiro, 2014
Os Jogos da Lusofonia vão congregar a partir deste sábado num único palco os países falantes da língua portuguesa, num convívio salutar entre jovens do horizonte lusófono, embora com culturas diferentes. Em Goa, na Índia, centenas de jovens vão durante onze dias mostrar as suas potencialidades, representando o Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Macau, Moçambique, Sri Lanka, São Tome e Príncipe, Timor-Leste e Angola.

Os jogos vão na sua terceira edição e dentro da rotatividade estabelecida Goa surge agora como palco desta edição, para a qual Angola parte com uma delegação composta por 150 elementos, entre jogadores, técnicos e oficiais, a maior caravana de sempre de Angola nesses jogos. Para além da componente competitiva, onde os atletas dos países participantes vão querer mostrar as suas aptidões com a conquista dos melhores resultados possíveis, onde se incluem, naturalmente, a conquista de medalhas, a componente cultural e recreativa tem sempre marcado presença.

Sob a égide do Comité Olímpico Angolano (COA), os atletas nacionais tiveram e têm tido uma preparação cuidada, não obstante alguns constrangimentos. A ideia principal, dentro do aspecto competitivo, é a conquista do maior número de medalhas nas disciplinas desportivas em que vão competir. Tal vai de encontro ao que disse o secretário-geral do COA, António Bambino, quando elogiou o apoio do Executivo e à participação dos nossos atletas: “Temos de louvar o apoio do Executivo desde que começámos a preparar os Jogos. Estamos em condições de dignificar a Bandeira Nacional na competição”.

Nas últimas participações Angola terminou em sexto lugar, nos Jogos de Macau, e depois na terceira posição, em Portugal, pelo que os nossos representantes estão obrigados a melhorar (ou manter) as 14 medalhas da última participação. Das projecções feitas, os atletas nacionais têm fortes possibilidades de medalhar no Basquetebol, Judo, Ténis de mesa, Atletismo, Tae-kwon-Do e Voleibol de Praia, mas não se coloca de parte a ideia de outras modalidades poderem receber medalhas.

O primeiro grupo de atletas deixa o país hoje mas, no cômputo geral, todos eles viajam com espírito de missão, sabendo que podem, através dos melhores resultados, justificar os investimentos que foram feitos e a confiança que neles foi depositada. A partir deste sábado vamos ter, pois, uma grande festa lusófona. Angola é a segunda delegação a desfilar no Estádio de Fatorda, depois dos anfitriões, com presença que certamente não vai passar despercebida, dado o prestígio que o país já ganhou entre os países que falam português.

Últimas Opinies

  • 20 de Julho, 2019

    Acesso ao Qatar

    Apesar da qualificação inédita numa fase final de um Mundial de Futebol, algo que ocorreu curiosamente em 2006, edição organizada pela Alemanha, a Selecção Nacional.

    Ler mais »

  • 20 de Julho, 2019

    O honroso sexto lugar do nosso hquei em patins

    A recente participação de Angola no Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins, que decorreu em Barcelona, Espanha, e que o nosso país se classificou em sexto lugar.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso período pré competitivo, nesta segunda quinzena de Julho, já queria ir para uma paragem, onde tivesse campos e equipas para realizarmos jogos.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Final interessante

    Um mês depois de fortes emoções vividas nos estádios e em outros espaços fora e longe dos centros de disputa,  vamos ter,  finalmente,  amanhã dia 19, o cair do pano da XXXII edição do Campeonato Africano das Nações de futebol, organizado pelo Egipto.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    A dvida de Akw

    O dia 8 de Outubro de 2005, ficará para sempre gravado na história do desporto angolano e do futebol em particular.

    Ler mais »

Ver todas »