Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Apelo solidariedade

08 de Janeiro, 2015
Esperança Caxita, campeã africana juniores de xadrez, concedeu há dias uma entrevista ao Jornal de Angola, em que para além de fazer uma abordagem ao seu percurso como xadrezista, referiu-se à Escola Macovi, instituição que a forjou no mundo do desporto.

Entre poucas palavras, chamou-nos a atenção o apelo aos patrocinadores para que ajudem a melhorar as condições daquele estabelecimento de ensino, que pode ajudar a dar muitas alegrias ao desporto angolano, no futuro. Esperança Caxita disse, que aos poucos, a Escola Macovi está a perder a matriz dada a decadência das suas estruturas.
A escola precisa de ser reabilitada e apetrechada com novos meios para que possa oferecer aos alunos, quiçá muitos deles futuros campeões, os ensinamentos e a motivação para continuarem a frequentar o local.

O apelo da nossa campeã africana faz-nos lembrar as sábias palavras do Presidente da República, num passado recente, quando apelou à solidariedade dos angolanos uns para com os outros. Aqueles com mais posses devem ajudar os que menos têm, disse na altura, mais palavras, menos palavras, o Chefe de Estado.
Na verdade, é preciso que coloquemos cada vez mais ao de cima, o espírito altruísta. No país existem empresas que geram milhões de kwanzas de receitas resultantes da actividade económica que desenvolvem, mas raramente apostam em acções de carácter social, nas comunidades em que estão inseridas. Essa era certamente, uma forma de mostrar solidariedade a quem precisa.

O país tem um forte potencial no desporto, mas precisa de investimentos avultados que o Estado por si só não pode suportar, dadas as inúmeras tarefas relacionadas com a satisfação das necessidades da colectividade. É com o apoio, a solidariedade, a boa vontade e a sensibilidade de outros entes, quer públicos, quer privados, sobretudo estes últimos, que muitas das necessidades de interesse público são satisfeitas.

Com Esperança Caxita e através do xadrez vimos o nome de Angola ser exaltado no continente, tal como já aconteceu em outras ocasiões por via de outras modalidades, com destaque para o andebol feminino e o basquetebol masculino que são as mais ganhadoras de África. Mas se a exaltação orgulha-nos a todos, pode continuar se houver mais solidariedade.

As nossas conquistas no desporto são tão importantes quanto noutras áreas. Mas não podemos adormecer nessas conquistas. Temos de continuar a investir para a recolha de novas vitórias. A ajuda à Escola Macovi de xadrez pode ser uma dessas apostas, não apenas como forma de responder ao apelo da nossa jovem campeã africana, mas também de mostrar a nossa solidariedade e disponibilidade.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »