Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Aposta na formao

18 de Julho, 2014
Como que a seguir a linha de acção do Executivo através do seu Plano Nacional de Formação de Quadros, o Comité Olímpico Angola realiza o quarto curso para Directores Nacionais da Solidariedade Olímpica, numa altura em que se fala, cada vez mais, que o desenvolvimento do país passa necessariamente pela aposta na formação do homem.

A qualificação contínua do capital humano deve ser a prioridade de todos os sectores, naquela que é grande aposta do Governo angolano para o período 2013-2020. Querendo contribuir com a sua quota parte, o COA leva a cabo mais uma acção de formação que vai permitir aos participantes adquirir conhecimentos a para o avanço do desporto nacional. O secretário de Estado do Desporto, Albino da Conceição, disse na cerimónia de abertura que a iniciativa do COA é uma importante contribuição para o desenvolvimento do sistema desportivo e apelou aos participantes para a entrega total durante o curso a fim de tirarem o máximo proveito da formação, dada a qualidade dos prelectores que são de reconhecida qualidade, enquanto formadores ligados ao Comité Olímpico Internacional (COI).

Só com quadros bem formados e com apurada competência se podem esperar resultados satisfatórios para o alcance dos objectivos definidos. Com isso, o Comité Olímpico Angolano espera poder engrossar a lista de quadros com aptidões para, nos quatro cantos do país, ajudarem na divulgação dos princípios do olimpismo além de, posteriormente, formarem outros agentes.

A necessidade da preservação dos valores éticos, solidariedade, fair-play e desportivismo são algumas das motivações que levaram o COA a realizar mais esta acção de formação para Directores Nacionais da Solidariedade Olímpica, que vai já no seu quarto curso.

Atendendo a que os actores a que se destina esta formação são na sua maioria dirigentes, líderes desportivos, treinadores, professores de educação física e antigos praticantes, é quase certo que os objectivos vão ser alcançados dada a grande interacção entre os prelectores e formadores, todos eles pessoas ligadas ao fenómeno desportivo.

Espera-se que a exemplo do COA outras instituições desportivas, como federações nacionais, associações provinciais, núcleos entre outras, possam também fazer uma forte aposta na formação de quadros para que as grandes linhas orientadoras da política desportiva nacional sejam executadas sem grandes dificuldades.

Dirigentes, técnicos, atletas, médicos, massagistas e todo o pessoal de apoio devem ter na formação uma prioridade constante para que todos se sintam habilitados e capacitados para enfrentar os desafios nas áreas em que se requer a sua intervenção.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »