Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Aproveitar as oportunidades

16 de Julho, 2015
A visita dos enviados da Federação Internacional de Futebol Associado, FIFA, ao nosso país, desde segunda-feira, pode significar para Angola o regresso aos benefícios e aos apoios do órgão reitor do futebol mundial, concretamente na formação.Angola é o único país de língua oficial portuguesa, que não tira proveito do “Projecto Goal” da FIFA, direccionado para financiamentos da construção de infra-estruturas desportivas, nomeadamente, campos de futebol e centros de estágios, o que não deixa de ser um contra-senso, quando agentes desportivos falam sistematicamente no desaparecimento de campos nos diversos bairros das grandes cidades.

Em Junho de 2013, o presidente da Federação Angolana de Futebol, Pedro Neto, explicou que o país deixou de beneficiar do projecto, por falta de um espaço para o efeito, não obstante várias tentativas para a obtenção de um local própria, inclusive, com a tentativa de indicação do Campo de São Paulo, na zona dos Congolenses, entretanto, acabou o referido programa por ser suspenso pela FIFA, em 2010.

Gorada a intenção, a hora agora é de tirar rendimento de outros projectos que o organismo internacional tem para os filiados, como na área do direito desportivo, da formação de jornalistas e jogadores, do desenvolvimento do treino, da organização e outros.Áreas sensíveis e de carências, que em parte serve para justificar os actuais níveis do futebol nacional, porque sem formação, nunca vamos ter bons dirigentes desportivos e os nossos jogadores vão continuar a ter sempre um acentuado défice em termos técnicos, com reflexos negativos no rendimento das nossas selecções e clubes, nas competições internacionais.

A Federação Angola de Futebol, ciente das suas responsabilidades, vai certamente apresentar aos enviados da FIFA as preocupações e projectos exequíveis, que ajudem na melhoria do futebol nacional, pois a condição de pleno direito de membro do organismo, dá-lhe essa possibilidade.Numa altura em que os dinheiros escasseiam nos cofres da FAF, o apoio da FIFA, ao seu filiado angolano para a implantação dos seus projectos, deve ser aproveitado ao máximo das possibilidades a serem concedidas.A Federação Internacional tem especialistas que podem ajudar, em teremos de assessoria, na implementação de tudo o que a FAF tenha no programa de necessidades.Há boa vontade, resta agora a apresentação do programa e que não se percam mais as oportunidades.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »