Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Arranque em fora

21 de Fevereiro, 2016
Ao contrário do ano passado, o 1º de Agosto começou a nova época com o pé direito, ou seja, com uma dupla vitória já que além de conquistar os seus primeiros três pontos, fê-lo diante de um concorrente directo na luta pelo título do "Girabola ZAP". É na verdade, um começo prometedor para os militares que neste ano apostam tudo, para o regresso aos tempos de glória.

A vitória sobre o Benfica de Luanda, mesmo que se trate da primeira jornada, abre boas perspectivas para Dragan Jovic e seus pupilos que fazem a terceira tentativa desde que o técnico bósnio foi indicado para assumir o comando técnico do 1º de Agosto. Por ser a terceira vez, pergunta-se insistentemente: será desta vez?

A resposta cabe ao tempo responder, mas ninguém pode negar que os militares nos últimos dois anos reforçaram no máximo da sua força para recuperarem um título que não ostentam há precisamente dez anos.

Os militares não estão sozinhos na corrida à sucessão do Recreativo do Libolo, que também aposta em não dar tréguas aos adversários para manter-se no trono como campeão.

Todavia, para o 1º de Agosto que leva mais de três décadas de participação efectiva no Girabola, com nove títulos ganhos, este é o ano do tudo ou nada. Os adeptos estão expectantes e acreditam que desta vez as coisas podem concretizar-se. Onde vão buscar tanto optimismo, só eles mesmo podem dizer pois não é a primeira vez que a equipa rubro - negra tem um começo do género e depois, um fim dramático.

Não obstante um acentuado aumento de investimentos, desde que Carlos Hendrick chegou para presidir a um dos mais emblemáticos clubes do país, nem por isso na prática as coisas têm correspondido com o que tanto se gasta para potenciar a equipa principal de futebol.

No ano passado, os militares depois de um arranque desastroso com três derrotas, e algumas escorregadelas em algumas jornadas, tiveram uma recuperação extraordinária na segunda volta, sobretudo deram luta até à última jornada ao Recreativo do Libolo, equipa com a qual terminou em igualdade pontual (60) mas com desvantagem nos jogos entre si.

Se calhar, este é uma das razões que levam muitos aficionados do futebol nacional a vaticinar um desfecho diferente para os do Rio Seco neste Girabola, que começou na sexta-feira precisamente com uma estreia auspiciosa dos militares sobre os encarnados de Luanda.

Dragan Jovic tem oportunidade de fazer história, se quebrar o longo jejum que já leva o 1º de Agosto, depois do holandês Jan Brouwer ter ajudado a conquistar o último troféu em 2006.

Últimas Opinies

  • 20 de Julho, 2019

    Acesso ao Qatar

    Apesar da qualificação inédita numa fase final de um Mundial de Futebol, algo que ocorreu curiosamente em 2006, edição organizada pela Alemanha, a Selecção Nacional.

    Ler mais »

  • 20 de Julho, 2019

    O honroso sexto lugar do nosso hquei em patins

    A recente participação de Angola no Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins, que decorreu em Barcelona, Espanha, e que o nosso país se classificou em sexto lugar.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso período pré competitivo, nesta segunda quinzena de Julho, já queria ir para uma paragem, onde tivesse campos e equipas para realizarmos jogos.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Final interessante

    Um mês depois de fortes emoções vividas nos estádios e em outros espaços fora e longe dos centros de disputa,  vamos ter,  finalmente,  amanhã dia 19, o cair do pano da XXXII edição do Campeonato Africano das Nações de futebol, organizado pelo Egipto.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    A dvida de Akw

    O dia 8 de Outubro de 2005, ficará para sempre gravado na história do desporto angolano e do futebol em particular.

    Ler mais »

Ver todas »