Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

At breve campeo...

15 de Novembro, 2017
Desde que o Girabola veio à luz, em 1979, já passou pelo nosso futebol uma data de treinadores estrangeiros. A ausência de um banco de dados, não permite avançar o número preciso, mas deve andar na casa de uma centena e mais alguma coisa. Entre estes, uns acabaram bem sucedidos, outros, nem por isso.

Aliás, não faltaram aqueles que acabaram despedidos pelas direcções que os tinham contratado, em face de resultados menos conseguidos. Desde brasileiros, portugueses, espanhóis e de países do chamado Bloco do Leste, fizeram pouso no futebol angolano, sobretudo, em anos recuados.

Com efeito, ainda se verifica algum equilíbrio, no palmarés daqueles que lograram conquistar títulos do Girabola, entre estes e os nacionais.
Muitas vezes, os clubes induzidos em erro, acabaram por comprar gato por lebre, alguns técnicos estrangeiros foram um autêntico desastre.

Seja como for, ninguém condena o desejo dos clubes contratarem técnicos, cujas qualidades se ajustem às suas metas competitivas. No desporto não há fronteiras que limitem a nacionalidade dos seus actores. É de todo pacifico, que em determinada competição estejam em evolução, actores de diferentes nacionalidades. Isto, temos visto nas grandes ligas, sejam de futebol ou de basquetebol.

Contudo, este escrito visa somente enaltecer o trabalho de alguns técnicos estrangeiros, que vieram parar ao nosso mercado. Aqui, podemos evocar os nomes de António Clemente (Petro de Luanda), Petar Kzernevich (1º de Maio de Benguela), Bernardino Pedroto (ASA). Estes, pelo menos, deixaram marcas nos clubes em que passaram, e foram indubitavelmente contratações que valeram a pena.

Entretanto, um outro nome acaba de entrar nas estatísticas, ou se preferirem, no selecto grupo: Dragan Jovic. O treinador bi -campeão nacional merece rasgados elogios, pelo excelente trabalho que fez, à frente do 1º de Agosto. Dois títulos de campeão nacional e uma Supertaça, em três épocas de contrato, não é pouca obra.

É importante não perder de vista, que a turma militar estava há uma década sem título, mesmo depois de passar pelas mãos de outros estrangeiros, como Victor Manuel, Lubomir Drulovic, Viktor Bondarenko e Dauto Faquirá. O técnico Dragan Jovic que , à partida vinha para formação acabou por ser o “salvador da pátria”.

É pena, que por questões de saúde, deixe a equipa . De resto,inculcou no grupo uma mentalidade ganhadora, que infundia enorme confiança à direcção do clube.

Pensamos que a substituição deve ser feita de forma cautelosa, de modo que a equipa não perca a ambição ganhadora dos últimos anos.

Vamos desejar ao técnico campeão rápidas melhoras, para que volte à actividade futebolística, porque ele realmente foi um dos estrangeiros, que conseguiu vencer no futebol angolano. Até breve, campeão...

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »