Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Audincias no Petro

13 de Abril, 2019
O dia de ontem, no Petro de Luanda , ao que nos constou, foi preenchido com sessões de audiências separadas, do presidente de direcção com os jogadores da equipa de basquetebol sénior masculina . O afastamento na Afroliga, nos quartos - de -final e na Taça de Angola, nas meias -finais, foi o leit -motiv. A dupla derrota deve ter deixado Tomás Faria de cabelos em pé, mais a mais, porque o carrasco foi o " rival " do " Rio Seco\ " .
Embora se diga, que o treinador Lazare Adingono foi o primeiro a ser ouvido, parece que o procedimento não é o comum, pensamos que algo esteja a ser engendrado a nível directivo, com vista à equipa técnica. Seria preciso perder tempo em audiências individuais, para se tomar uma medida que vise, em primeira instância, corrigir algo que esteja mal ? Não será a direcção do clube detentora de poder de dizer, sim ou não, à continuidade do técnico?
Por outro lado, será preciso não perder de vista, que o problema da equipa não está no treinador, de resto, ao longo do tempo que se encontra ao serviço do clube, mostrou por A+B a sua capacidade profissional. Será, que milagrosamente desaprendeu de um dia para o outro? Não será que a questão deve ser analisada mais a fundo?
É certo, que a direcção do clube não deve ficar indiferente à má prestação da equipa, nas duas competições evocadas. Está no direito de protestar o mau desempenho e apurar as razões que terão levado a equipa ao descalabro. Mas não deve fazê-lo, de forma precipitada, com medidas que em lugar de resultar com melhorias, possam, eventualmente, afundar mais às expectativas da sua massa associativa.No desporto, vive-se de ciclos. Mesmo quando é uma equipa consagrada e ganhadora perde, quando menos se espera, mergulha na crise de resultados. Aliás, foi assim mesmo com o Petro de Luanda, em futebol, na década 80 do Século passado, teve um domínio que levou épocas e épocas. No entanto, o 1º de Agosto não estava na segunda divisão ou no provincial de Luanda. Estava na mesma prova, mas mergulhado em crise.
Quanto ao basquetebol, não pode haver dúvidas, que neste momento o 1º de Agosto está melhor que o Petro. É esta particularidade que está a determinar os resultados entre as duas equipas. Uma coisa é exigir resultados ou conquistas à equipa quando está ao mesmo nível do(s) adversário(s), outra é fazê-lo ainda que ciente de não ter arcaboiço suficiente para o que se lhe exige.
Portanto, a nosso ver, o clube precisa de ver o que esteja mal no plantel e passar para o estudo das soluções possíveis. O Unitel -Basket ainda está em curso e nele pode estar a salvação da época, embora, ainda assim, tenhamos algumas reticências em função do que é uma equipa e o que é a outra, entre os dois assumidos candidatos ao título.


Últimas Opinies

  • 21 de Setembro, 2019

    Craques que buscam afirmao alm-fronteiras

    É por demais sabido, que a história do futebol angolano regista o nome de ex-jogadores, que ajudaram a elevar o nome do país além-fronteiras.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Talentos angolanos ofuscados na dispora (?)

    Hoje, neste espaço assinado “A duas mãos”, concordamos escrever sobre um assunto de suma importância e que merece a nossa atenção, até porque, sem desprimor para outros, as questões sobre os futebolistas angolanos que actuam na diáspora, com particular destaque para os novos talentos que têm, nos últimos tempos, preenchido largos espaços na média desportiva e não só.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os adversários são bons, os grupos são fortes e têm boas selecções.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Crise petrolfera

    Há maus ventos no Petro Atlético de Luanda

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Futebol nacional deve ser revolucionado? (II)

    A semana precedente fechei o texto com o seguinte argumento: “A meu ver, já não se pode gastar dinheiro em vão com o futebol.

    Ler mais »

Ver todas »