Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Basquetebol de luxo

22 de Maio, 2017
A final do BIC Basket que está a ser disputada entre o Recreativo do Libolo e o Petro Atlético de Lunada à melhor de sete jogos, está a aquecer o período de cacimbo que começou no passado dia 15. Nos dois primeiros jogos disputados no Espaço de Sonhos, casa emprestada do Libolo, as duas equipas proporcionaram um basquetebol de alta qualidade, daquele que só se vê em grandes palcos e com jogadores galácticos.

Os Libolenses estão em vantagem com duas vitórias apertadas por 97-96 e 87-85 respectivamente, o que indica claramente que tem havido grande luta na quadra de jogo e com isso um espectáculo a cinco estrelas. É caso para dizer, em função dos dois últimos jogos da final, que o nosso Basquetebol está a atingir níveis de fazer inveja a qualquer basquetebol a nível do continente e não só.

Entretanto, gostaríamos de ter nesta final um treinador nacional, pois pelo nível do basquetebol que está a ser exibido seria um bom teste para o seleccionador nacional, tendo em mente a intenção já anunciada pelo presidente da Federação Angolana de Basquetebol de nomear um nacional para orientar os hendeca campões africanos.

Como contra factos não há argumentos, temos de nos contentar com o facto de termos nesta final muitos jogadores nacionais que são seleccionáveis, pois ao longo destes trumunos de gigantes os seus níveis técnicos e físicos vão melhorar significativamente. Ainda faltam cinco jogos para encontrarmos o vencedor deste campeonato, onde o 1º de Agosto, foi a grande decepção a julgar pela forma em que foi arrancada da final pelo Petro de Luanda e atendendo ao seu historial.

O Recreativo do Libolo chegou à final com apenas uma derrota o indica que praticamente não teve oposição. Só para termos uma ideia nos cerca de seis jogos que disputou com o seu opositor nesta final só somou vitórias. Pela forma em que se apresentou desde o início da época, onde varreu tudo e todos e tendo em atenção o jejum de títulos em que está mergulhado desde 2014, a equipa de Calulo apresenta-se a priori como favorita para levantar o troféu.

Mas para que tal aconteça Olímpio Cipriano e seus companheiros terão de mostrar em campo que são os melhores da actualidade no país, passando mais uma vez pelos tricolores da capital. De resto, o público amante do basquetebol em Luanda e não só pode ter a certeza de que até encontrar-se o campeão nacional da época 2017 teremos basquetebol de muito luxo que valerá a pena não perder.

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »