Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Batalha renhida

25 de Abril, 2016
Começa na próxima sexta-feira a fase de qualificação do BIC Basket. Trata-se do início de uma nova caminhada que vai apurar as quatro equipas que vão procurar chegar à final para posteriormente lutarem pelo título de campeão nacional.

Depois da fase regular e da fase seguinte, eis o momento para uma das fases a doer. Os especialistas da modalidade não obstante o número de equipas que competem no campeonato, elegem apenas três como as potenciais candidatas ao anel ainda em posse do Petro de Luanda.

Do trio, a eleição recai para o campeão em título, Petro de Luanda, o Recreativo do Libolo e o 1º de Agosto. Qualquer uma está em condições de chegar ao final da compita e erguer o cobiçado troféu patrocinado pelo BIC. Sendo assim, será no detalhe onde as coisas vão se definir, ou seja, encontrar-se o campeão de 2016.

Comentaristas da bola ao cesto que estiveram sábado no programa Quintalão do Desportista da Rádio Cinco, colocaram a equipa de Calulo como a favorita das favoritas. O plantel que ostenta, a experiência dos seus jogadores, a capacidade do seu técnico e a organização administrativa foram apontados como os requisitos essenciais que o Libolo ostenta.

Mas aos outros candidatos também se lhes reconheceu atributos. Os petrolíferos da capital depois da surpresa do ano passado, por força da juventude da sua equipa, continuam a ser vistos como candidatos com argumentos para voltar a repetir a proeza, embora tenha de mudar algumas coisas para atingir o objectivo.

A perda do troféu da Taça de Angola para o Recreativo do Libolo mostrou que o Petro de Luanda terá de trabalhar o aspecto psicológico da equipa de modo a aliar a sua força física com a parte técnico-táctica que nem sempre é respeitada pela sua juventude.

Com um começo arrasador, o 1º de Agosto é outro dos candidatos que entra nas contas do título. Com plantel igualmente recheado de boas unidades e um novo treinador, os militares procuram resgatar um título que não conquistam há dois anos. Apesar de ter ficado de fora da final da Taça de Angola, a equipa rubro-negra tem também condições de poder voltar aos tempos de glória.

Portanto, com este cenário desenha-se uma fase de qualificação que pode ser tida como uma batalha renhida na busca pelo título, com as três equipas referenciadas a colocarem-se como as mais sérias candidatas.

Espera-se que os árbitros também estejam a altura para se evitarem murmúrios que muitas vezes acabam por prejudicar a verdade desportiva. A FAB deve trabalhar para que os árbitros não joguem mas realizem apenas o seu trabalho.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »