Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Boa impresso

28 de Fevereiro, 2014
Nesta primeira avaliação, os dirigentes do organismo reitor do basquetebol africano ficaram impressionados sobretudo com a imponência do Pavilhão Multiusos de Luanda, próximo da centralidade do Kilamba, construído o ano passado por ocasião da realização em Angola do primeiro Campeonato do Mundo de hóquei em patins em África.

Daquilo que viram e das explicações que ouviram dos responsáveis da Federação Angolana de Basquetebol, os membros da FIBA-África mostraram-se impressionados. A delegação, que teve à testa Julian Farran, membro da comissão técnica de competições, deu nota positiva ao novo pavilhão, considerando-o uma infra-estrutura “supermoderna e apta para acolher eventos internacionais”.

Além de percorrer as instalações desportivas da capital, a visita deslocou-se a uma das unidades hoteleiras e no final houve o encontro da praxe com a direcção da FAB. Embora não tenha transpirado nada para a imprensa, analistas da modalidade acreditam que a pretensão de Angola tem tudo para ser concretizada, atendendo à tradição que o país já leva no capítulo organizativo, com a realização de três edições do Afrobasket, em 1989, 1999 e 2007.

Á ultima vez que o país acolheu o maior evento africano de basquetebol, em 2007, fê-lo de modo singular, ao levar a prova a quatro cidades-sede, Luanda, Benguela, Huambo e Cabinda, tendo recebido na altura muitos elogios do "bureau" da FIBA-África. Com base nas experiências anteriores e tendo em conta o alto nível de organização que sempre demonstrou, é quase impossível pensar numa decisão que não aponte Angola como favorita.

A visita devia contar com a presença do secretário-geral do organismo reitor da modalidade no continente, o tunisino Alphonse Billé, que chefiaria a delegação, mas este por razões de calendário apenas vai estar presente na próxima visita, marcada para o próximo mês de Março, altura em que as autoridades angolanas podem receber o relatório desta primeira visita de inspecção.

Além dos três novos pavilhões erguidos em Luanda, Namibe e Malanje, por ocasião do Mundial de hóquei em patins, o país conta com outras infra-estruturas desportivas e de apoio para acolher uma vez mais a maior festa do basquetebol continental. Até 2015 há tempo suficiente para a FAB fazer todo trabalho de casa a fim de que a candidatura do país seja uma realidade.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »