Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Boa safra nas Afrotaas

16 de Fevereiro, 2015
As equipas angolanas que representam o país nas Afrotaças podem dar-se por satisfeitas com o resultados que obtiveram nos jogos da primeira-mão da fase preliminar quer da Liga dos Campeões quer da Taça da Confederação.

Os quatro representantes não têm motivos para se sentirem apreensivos, porquanto têm condições para seguirem em frente com maior ou menor dificuldade, contrariando a história do passado quando, por esta altura, tinham o coração nas mãos em função de resultados pouco alentadores que, quase sempre, acabaram por ser determinantes para a sua eliminação precoce.

O trabalho de casa deve ser bem feito, para que no começo da campanha não aconteça algo desagradável que coloque em xeque a continua desta ou daquela equipa. Para a Liga dos Campeões, o Libolo, com uma vantagem algo confortável na eliminatória, disputa o segundo jogo fora de casa, mas os indicativos que deixou no encontro de Calulo permitem-lhe sonhar com a segunda eliminatória, sem subestimar a formação do Sanfra que tem os seus argumentos e que espera anular a vantagem do campeão angolano.

O Kabuscorp do Palanca foi a única equipa angolan que esteve em competição nas provas da CAF que não marcou golos. A turma do Palanca adiou a decisão da eliminatória para o jogo em casa, onde, seguramente, com o apoio do público, pode perfeitamente superiorizar-se ao Lydia do Burundi.
O Kabuscorp não venceu, mas tem de precaver-se da igualdade sem golos que pode ser um resultado enganador, principalmente se o adversário no encontro de resposta marcar um tento, o que torna as coisas mais difíceis para o representante angolano que pode ser obrigado a ganhar para seguir em frente.

Na Taça da Confederação as coisas também estão mais ou menos definidas. O Benfica de Luanda regressou às Afrotaças com uma brilhante vitória por 2-0 e o Petro de Luanda tem a passagem quase garantida após vencer fora de casa, ainda que por uma margem mínima. Sem entrar em grandes euforias, há pois motivos para os angolanos encararem os jogos da segunda-mão com tranquilidade. Os estágios fora do país que todos fizeram bem como os jogos do Girabola até a data dos jogos de resposta darão a rodagem que todos merecem, até porque depois desta eliminatória e na eventualidade de todos transitarem para a fase seguinte, os adversários são mais duros o que vai exigir de todos o máximo de empenho e competência para continuarem em prova. De resto, tivemos uma boa safra no fim-de-semana. Que venham lá os jogos da segunda-mão.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »