Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Boa sorte Angola

11 de Abril, 2019
Vai amanhã a sorteio, no Cairo, a XXXI edição do Campeonato Africano das Nações de futebol. Uma edição que marca mais uma viragem do processo evolutivo do torneio, desde que em 1957 veio à Luz. A partir do Egipto serão 24 selecções em acção. Assim, a prova, ao invés de sair da fase de grupos directamente para os quartos-de-final, como vinha ser até na edição passada, poderá conhecer uma outra fase intermédia.
Também poderá se dar o caso de o esquema anterior continuar, consistindo a alteração no aumento numérico das equipas nos grupos, que pode passar de quatro para seis. Tudo será decidido na reunião do Comité Organizador da prova, que se realiza ainda hoje no Cairo. Portanto, daqui em diante chegar aos quartos-de-final poderá ser mais exigente. Já não será com mera cantiga, mas trabalho, combatividade e mais do que isso com muito estoicisEu cresci na mesma época que Gary Paffett. Ele é um pouco mais velho do que eu e agora está na Fórmula E. Penso que o futuro é esse. Quem sabe, talvez seja uma área onde possa usar as minhas habilidades, mas à medida que envelheces, é mais difícil encontrar a motivação para ficar concentrado e garanto-te que tens de ter amor por aquilo que fazes.mo.
Mas não é isto que está em causa. Está sim em causa, a sorte que pode ter Angola na roleta dos dígitos. Sabemos que o nosso país está no Pote 3 (dado oficioso), não tendo como escapar do cruzamento com \"colossos\" do futebol continental. Mas não é isto que deve preocupar, sendo que só atingiu a fase final aquele que, à partida, se revelou adulto competitivamente, e logo em condição de ombrear com qualquer adversário.
O presidente da FAF, Artur de Almeida, está no Cairo, logo serão suas as primeiras reacções, tão logo ficarem conhecidos os adversários de Angola na primeira fase de grupo. Portanto, é para o Cairo que se movimenta nas últimas horas o mundo do futebol continental. Pois, é o sorteio que poderá ser elemento orientador das equipas, para os respectivos programas de preparação.
Aliás, em qualquer competição o sorteio representa a primeira fase da competição. No caso particular de Angola, sabemos que já foi escolhida a África do Sul como destino para o estágio pré-competitivo. Mas independentemente disso haverá ainda muito trabalho a ser realizado.
Desde já, o grupo que assegurou a qualificação carece de muitos arranjos. Precisa de injecção de sangue novo, ainda que este processo obrigue a troca de tudo e de todos. Levar para o CAN uma equipa produtora de um futebol sofrível, como o que nos foi dado a ver no último jogo de qualificação é, no mínimo, falta de ambição, ou olhar para as coisas com menor seriedade.
A direcção da FAF e Vasiljevic têm a ingente missão de preparar, nos próximos tempos, uma equipa mais capaz, que tenha uma prestação ajustada às ambições do país. Já basta de participações só de participar e com resultados sofríveis. Hoje o tempo exige dos homens mais e melhor...

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »